TOPO

“O que fazer em San Gimignano, na Itália (com mapa)”

San Gimignano está entre as cidades turísticas mais graciosas da Toscana. Com arquitetura medieval muito bem conservada, se tornou famosa não só pela beleza, mas devido às suas altas torres construídas por volta do século XIV – o que não era tão comum na época. Enquanto a maioria das cidades possuía uma torre de vigia, San Gimignano chegou a ter 72, já que foi rota de peregrinação até Roma durante a Idade Média.

Não a toa, é listada como Patrimônio Mundial da Unesco.

Lá você encontrará, além das construções históricas e do clima medieval, excelentes restaurantes, uma vista incrível do alto das montanhas e muitas lojas com artigos locais para levar da sua viagem. É uma cidade apaixonante e possível de ser conhecida até por quem não dispõe de muito tempo, já que até hoje é praticamente um vilarejo, com cerca de 7 mil habitantes.

Quer saber mais? Neste post vamos dar dicas imperdíveis sobre San Gimignano! Saiba o que fazer, como chegar, onde ficar, onde comer e muito mais!


Planejando uma viagem para a Itália? Não esqueça de contratar o seu seguro viagem obrigatório! Faça uma cotação com as melhores seguradoras através da Seguros Promo e use o cupom VIAJAQUEPASSA5 para receber 5% de desconto.


ONDE FICA SAN GIMIGNANO

San Gimignano é uma pequena cidade de cerca de 7 mil habitantes situada na região da Toscana, na Itália. A viagem pode ser facilmente combinada com Siena (45 km) ou Florença (60 km).

Confira onde fica San Gimignano no mapa:

Como chegar em San Gimignano

Como está localizada num ponto muito alto, não existe estação de trem em San Gimignano. Quem optar pelo transporte público, deverá chegar de ônibus ou combinar trem + ônibus, dependendo da cidade de origem.

De transporte público

Pra quem sai de Siena, a maneira mais prática é pegar um trem regional até Poggibonsi e, da própria estação ferroviária, pegar a linha de ônibus 130 até San Gimignano. Em média, saem dois ônibus por hora – confira o cronograma atualizado simulando a rota no Google Maps. O bilhete do ônibus, que custa em média 2,60 euros, pode ser comprado em qualquer tabacaria (Tabacchi) ou do próprio motorista (mas nesse caso fica mais caro).

Já quem sai de Florença, pode optar entre seguir de trem regional ou de ônibus (linha 131) até Poggibonsi – com a diferença de que o ônibus é mais rápido. De lá, também deverá pegar o ônibus 130 até San Gimignano.


Leia mais: 

Como e quando comprar as passagens de trem na Itália

Tipos de Trem na Itália: qual escolher para a sua viagem


De carro

A opção mais prática para chegar em San Gimignano, sem contar na vista maravilhosa do caminho, é de carro.

Para comparar os preços das locadores e fazer reservas de carro na Europa, a nossa recomendação é a Rental Cars, que além de confiável também costuma apresentar as melhores tarifas.

Se você for durante os finais de semana ou feriados, possivelmente pegará um pouco de trânsito para subir até o centro histórico de San Gimignano, onde se concentra o turismo.

Outro fator é que você só encontrará estacionamentos fora da cidade murada, já que o tráfego interno é restrito a pedestres. Por isso, esses estacionamentos também costumam lotar rápido. Se possível, recomendo evitar os dias de maior fluxo, principalmente na alta temporada.

QUANTO TEMPO FICAR

Não é necessário muito tempo para conhecer a pequena cidade. Um passeio de 1 dia já é suficiente para desfrutar do que o local tem a oferecer. É muito comum que as pessoas nem pernoitem no local, mas façam um bate e volta partindo de Florença ou de Siena.

Por outro lado, quem tiver mais tempo e quiser desfrutar a cidade vazia após a onda de turistas, poderá se hospedar e assistir ao pôr do sol, jantar em um bom restaurante e observar a vida dos moradores na pacata cidade.

ONDE FICAR EM SAN GIMIGNANO

Caso você decida vivenciar o clima da cidade permanecendo nela por alguns dias, aqui vão algumas dicas de locais para se hospedar:

Econômico
Bom custo-benefício
  • Algumas opções um pouco mais custosas, porém com bom custo-benefício, são: o Roccaia Casa’70, que hospeda até 4 pessoas, possui um vinhedo e jardim com piscina; a Fattoria San Donato, que é uma fazenda com vista maravilhosa; e o Hotel Relais Cappuccina, para quem busca tranquilidade com aquela vista sem igual dos montes toscanos. Vale ressaltar que todas as recomendações ficam fora da cidade murada, por isso são mais indicadas para quem está de carro.
Luxo
  • Com estrutura impecável e no estilo dos pequenos castelos medievais, a Locanda dei Logi entrega sofisticação sem se perder as características da região e o charme toscano.

O QUE FAZER EM SAN GIMIGNANO EM UM DIA

Piazza della Cisterna

A praça, construída em 1200, abriga algumas das principais atrações locais, como o Poço Medieval, a Torre dei Becci, o Palazzo Razzi, a Torre dei Cugnanesi, a Gelateria Dondoli, a Torre del Diavolo e a Casa Salvestrini, que foi um antigo hospital; além de restaurantes e hotéis.

Como é um ponto de referência para feiras e eventos, pode ser que durante sua visita você seja afortunado de presenciar alguma apresentação.

Piazza della Cattedrale (ou del Duomo)

Praticamente continuação da praça anterior, nesta está localizada a principal igreja de San Gimignano. Por isso, antigamente era a praça mais importante do local, onde ocorriam tanto atividades religiosas, quanto políticas. Nela estão localizados o Duomo, o Palazzo del Podestà, com seu imponente sino, a Torre Rognosa, o Palazzo Comunale e a Torre Grossa.

Rocca di Montestaffoli

Construída entre 1353 e 1358, seu propósito inicial era o militar, como grande parte da cidade. Essa fortaleza hoje é uma das principais opções do que fazer em San Gimignano, na Itália, por conta da vista incrível que possui. Além disso, dentro da Rocca é possível ver a cidade do alto por diversos ângulos diferentes. Outro ponto forte é o caminho até ela, que passa pela Vernaccia di San GImignano, e é um lugar excepcional na cidade – mas comentarei mais adiante.

Durante a alta temporada, ela também concentra obras de arte, apresentações, concertos musicais e um dos seus principais eventos: a Giostra dei Bastoni.

Collegiata di Santa Maria Assunta (Cattedrale/Duomo di San Gimignano)

A principal igreja da cidade é repleta de mármore e muito colorida pelos afrescos que preenchem todo seu interior representando passagens bíblicas. Além das pinturas, seus detalhes arquitetônicos também foram projetados por grandes nomes toscanos, como Benedetto da Maiano e Domenico Ghirlandaio. Sua fachada no estilo romântico retrata a arquitetura de quando foi erguida, por volta do ano 1200, apesar da igreja já existir desde os anos 1000.

O ingresso custa 4 euros e ela fica aberta para visitação das 10h30 às 18h30 durante a semana (exceto às quintas-feiras), até as 17h30 aos Sábados e das 12h30 às 17h30 aos Domingos.

Fontaneli Medievali

Elas são um pouquinho mais distantes do centro, mas se você não se importar de dar uma caminhada pelas ruas da cidade, que são todas muito charmosas, visite o local. Esse foi um ponto de desenvolvimento de San Gimignano, que fornecia água para banho, consumo e lavagem de roupas, e nos conta um pouco sobre o passado.

Chiesa di Sant’Agostino

Exemplo de arte renascentista italiana, a igreja é uma das mais bonitas da cidade. Possui uma pátio interno e uma lojinha, além de diversas obras de artistas florentinos retratando passagens bíblicas.

A entrada é gratuita e o horário de funcionamento varia ao longo do ano – no verão, fica aberta das 10h às 12h e das 15h às 19h.

Palazzo Comunale + Museu Cívico e Pinacoteca

Localizado na Piazza del Duomo, o palácio foi construído sobre as ruínas de uma edificação anterior. A partir de então, desde o século XIII, passou a ser sede da Comuna de San Gimignano.

Hoje abriga tanto o Museu Cívico, que apesar de pequeno, possui alguns artefatos únicos; quanto a Pinacoteca da cidade. Além das obras do museu e da pinacoteca, voltadas para a exposição centenária de artistas locais, existem diversos afrescos pelo edifício, principalmente de Memmo di Filippuccio e Lippo Memmi.

Como minhas visitas à cidade foram rápidas, não cheguei a conhecer o museu e a pinacoteca, apenas admirei o lado externo da construção. Mas se você tiver mais tempo de passeio, estas são duas famosas opções do que fazer em San Gimignano, na Itália.

O Palazzo abre das 10h às 19h30.

Torres de San Gimignano

Torres de San Gimignano, na Itália

Foto: Mattia Bericchia via Unsplash

Apesar de não serem as únicas da cidade, a seguir estão algumas das mais conhecidas dentre as 14 torres históricas ainda existentes em San Gimignano:

Torri dei Salvucci

Essas estão entre as mais importantes de San Gimignano e o curioso motivo de serem torres gêmeas, ou seja, idênticas e coladas, é porque existia uma regra para tais construções na cidade, que não podiam exceder os 54 metros.

A verdade é que as torres eram símbolo de poder e rivalidade entre as famílias. Os Salvucci, que eram os mais influentes do lugar, decidiram erguer uma ao lado da outra – que, somadas, passaram a ser a “maior” torre da cidade. Apesar de gêmeas, a da direita é ligeiramente mais alta. Antigamente ela também era uma residência e, hoje, pode ser alugada para hospedagem.

Torre del Diavolo

localizada na Piazza della Cisterna, inicialmente pertencia ao Palazzo dei Cortesi, que fica à sua direita. Nela é possível ver uma entrada dupla onde possivelmente passavam os pedestres. Ali teoricamente ficavam lojas de ouro, daquelas que produziam chapas para a fabricação de móveis típicos da época. Já no topo da torre existem troncos de madeira salientes, onde possivelmente existia uma varanda apoiada.

Reza a lenda que o curioso nome foi por conta de um aumento repentino na altura da torre (a parte menor, no topo) descoberto após o proprietário retornar de uma viagem, sugerindo que tal façanha teria sido obra do Diabo.

Torre Chigi

Essa pertenceu a 3 importantes famílias da Toscana: os Useppi, Chigi e por último os Cilemmi-Giachi. Apesar de não estar entre as mais altas, é considerada uma das mais bonitas de San Gimignano.

Como as demais, ela possui poucas aberturas, janelas e portas, pois para a época importava mais a segurança do que iluminação e ventilação. Era tão importante se manter seguro que, para dormir, a escada do primeiro andar da torre era recolhida. O local de descanso provavelmente ficava no último andar, que nem janelas possui.

Torre Grossa (Torre del Podestà)

A torre mais alta da cidade possui 54 metros e foi construída em 1300 sobre o Palazzo Nuovo del Podestà, na Piazza Duomo. Antigamente existia um sino no seu topo, mas foi destruído durante a Segunda Guerra Mundial. Mas o melhor é que dá para subir na torre (o ingresso custa 9 euros) e ter a vista panorâmica de seu topo, que é espetacular.

Torre Ragnosa

Também na Piazza Duomo, é a segunda mais alta da cidade e pertenceu às famílias Gregori e Orti. Atualmente foi restaurada para ser hospedagem turística e apesar de possui 10 andares, abriga no máximo 4 pessoas, já que é bastante estreita.

Torri degli Ardinghelli

Esse é outro conjunto de torres gêmeas construído pelos rivais da família Salvucci. Originalmente tinham o dobro da altura atual, mas foram reduzidas em cumprimento ao decreto de 1255 que ordenava um tamanho máximo para as torres. Por não serem idênticas, não chamam tanto a atenção para o fato de serem gêmeas.

O QUE FAZER EM SAN GIMIGNANO: PRA QUEM TEM MAIS TEMPO

Foto panorâmica de San Gimignano, na Itália

Foto: Getty Images

Quem resolver passar mais tempo na cidade e explorar o antigo borgo medieval mais a fundo, aqui vão mais algumas dicas de atrações:

San Gimignano 1300

O museu conta a história da cidade, fala sobre a sua arquitetura e conta com maquetes dos marcos mais importantes para o desenvolvimento de San Gimignano. Também traz as razões que fazem com que hoje seja patrimônio cultural da Unesco.

O prédio é muito grande! São 10 galerias projetadas por Michelangelo e Raffaello Rubino, que planejaram uma reprodução da cidade como ela era em 1300, quando ainda possuía 72 torres.

Essa é uma visita bastante instrutiva e que vale a pena entrar no roteiro. O ingresso custa 5 euros e o museu abre diariamente, das 8h às 19h.

Spedale di Santa Fina

O lugar é um complexo de museus onde um dia houve um hospital, fundado em 1253. Por isso, em seu primeiro andar encontram-se vidros onde antigamente eram conservados os medicamentos, cujas receitas se encontram nos livros que ali estão.

Além do hospital, também há o Museo Archeologico e a Galleria d’Arte Moderna e Contemporanea Raffaele De Grada, que só surgiram no século XX.

O ingresso para as 3 atrações custa 9 euros e pode ser adquirido no local. O horário de funcionamento vai das 10h às 18h nos meses da alta temporada.

Chiesa San Bartolo

É uma igrejinha curiosa, muito diferente da maioria que vemos pela Itália. Esta se destaca pela simplicidade. Foi construída no século XI e é basicamente toda composta por tijolinhos que ficam aparentes tanto no lado de fora quanto de dentro.

Funciona das 8h às 18h e a visita é gratuita.

Chiesa del Quercecchio

Chama pouca atenção pelo fato de ser pequena e estar um pouco escondida. O que admira é o fato de haver até um museu em seu interior, além de um oratório muito bonito, surpreendente por conta da simplicidade exterior. É uma das igrejas mais antigas que visitei na cidade, já que a sua fundação data de 1070.

 

ONDE COMER EM SAN GIMIGNANO

A Gelateria Dondoli e Gelateria Dell’Olmo

É a mais famosa sorveteria da cidade, pois venceu dois concursos de melhor sorvete do mundo. Em uma das vezes que fui a San Gimignano, enfrentei a enorme fila só para conhecer o tal sorvete. O resultado foi que não vi nada de mais comparado aos outros que já provei na Itália. Por isso, dependendo da fila é melhor recorrer à Gelateria Dell’Olmo, que fica na mesma praça. Vi muitos turistas falando inclusive melhor desta que da primeira.

Vernaccia di San Gimignano

San Gimignano também é berço do vinho Vernaccia, que é produzido pela uva de mesmo nome e possui certificação DOCG (denominação de origem controlada e garantida). 

O melhor lugar que encontrei para desfrutar de uma bela taça de vinho foi na La Vernaccia di San Gimignano, que fica na Rocca. A vista durante a degustação é esplêndida e, para os que tiverem interesse em aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, também existe um museu no local.

Lo Spuntino

Outra dica para quem quer reduzir o custo da viagem é sair um pouco da rota turística, pois assim poderá encontrar bons restaurantes por preços mais acessíveis.

Esse foi o caso do Lo Spuntino que encontramos por acaso e que foi uma boa opção de almoço. Possui ambiente pequeno e acolhedor, porém não são tantas opções no cardápio, mas todas as que pedimos estavam saborosas.

Baixe o mapa

Para conferir todas as dicas em tempo real durante a sua viagem, baixe o mapa das atrações em San Gimignano, na Itália:

Tags:    

«
»