TOPO

“Roteiro em Petrópolis para 2 ou 3 dias: o que fazer, onde ficar e dicas”

Planejar uma visita e escolher o que fazer em Petrópolis são atividades deliciosas. O lugar tem várias características que enchem os olhos: clima bucólico, boa estrutura, além de gastronomia convidativa. Atrações também não faltam! Como típica carioca que adora subir a serra, confesso: há sempre algo a ser visto.

Por ficar perto do Rio, muitos viajantes que estão na capital gostam de fazer um bate e volta na cidade. A escolha é boa para quem está com a agenda apertada, mas passar mais tempo ali tem suas (muitas) vantagens.

Um roteiro em Petrópolis para 2 ou 3 dias é ótima pedida. Em um fim de semana, por exemplo, dá para conhecer os pontos turísticos clássicos e alguns recantos menos conhecidos — mas igualmente fascinantes. E não estranhe se sair de lá com gostinho de quero mais, é super normal.

Está organizando sua passagem pela Cidade Imperial? Confira informações sobre o destino e a nossa sugestão de roteiro em Petrópolis para aproveitar ao máximo a estadia!

ONDE FICA PETRÓPOLIS

Petrópolis fica localizada na região serrana do Rio de Janeiro, a cerca de 60 quilômetros da capital. É vizinha das cidades de Guapimirim e Teresópolis, além de ser próxima de outros destinos da serra fluminense.

Sua altitude é de pouco mais de 800 metros, o que garante um clima bem mais fresco que na capital.

Confira onde fica Petrópolis no mapa:

Como chegar e se locomover

Quem parte do Rio encontra facilidade para chegar. A viagem de aproximadamente uma hora e meia pode ser feita de carro, ônibus, ou até mesmo de transfer.

Amanhecer na serra em Petrópolis, Rio de Janeiro

Foto: Willian Justen de Vasconcellos via Unsplash

De carro

Para quem vai de carro, o acesso é por meio da Linha Vermelha ou da Avenida Brasil, e segue pela Rodovia Washington Luiz, a BR-040. O trajeto inclui um pedágio, tanto na ida quanto na volta.

Quem chegar no Rio de avião pode sair direto do aeroporto já motorizado. Na Rent Cars você pode cotar o aluguel de carro de todas as locadoras e reservar com desconto.

De ônibus

De ônibus, basta ir até a Rodoviária Novo Rio. De lá, a viação Única Fácil administra saídas diárias e praticamente a cada hora. Ainda é possível pegar o ônibus no Terminal Menezes Cortes, no Castelo, ou no Terminal Alvorada, na Barra da Tijuca. Nestes dois pontos, contudo, as datas e horários são limitados. É preciso observar a disponibilidade com antecedência.

Em solo petropolitano, o ponto de descida é no Terminal Bingen. Para ir até o centro histórico, que fica bem perto, existe a opção de ônibus de integração, táxi e uber. De lá também partem ônibus para outros bairros afastados.

De transfer

Várias empresas oferecem o transfer “Rio x Petrópolis”, seja do RIOgaleão, do Aeroporto Santos Dumont ou de outras regiões da capital carioca. O preço varia de acordo com a empresa, o tipo de transporte (compartilhado e privado) e o número de passageiros.

Certamente esse não é o meio de transporte mais barato, mas para quem procura conforto e não quer saber de carro próprio na cidade, pode valer a pena.

Locomoção

Uma vez em Petrópolis, a melhor forma de locomoção vai depender de como pretende explorar a região.

Se a intenção é focar nos principais pontos turísticos, quase nem é preciso se preocupar com transporte. Além das atrações serem próximas, caminhar pelo entorno é muito agradável. Nos casos de precisar percorrer distâncias maiores, como para conhecer o Palácio Quitandinha, ônibus, táxi e aplicativo ajudam.

Agora, se a ideia é ter liberdade para conhecer também atrativos distantes da parte central, aposte no carro. Esta é, sem dúvidas, a melhor maneira de otimizar o tempo e explorar tudo com autonomia.

QUANDO IR: MELHOR ÉPOCA PARA VISITAR PETRÓPOLIS

Passear pela Cidade Imperial é bom em qualquer época. Mas é no inverno que o lugar atinge o ápice do charme. O clima ameno da serra cria dias fresquinhos e noites frias, bacanas para um vinho à beira da lareira ou para admirar o céu estrelado. Também é nessa época que o movimento costuma ser grande, principalmente durante o Festival de Inverno e a Bauernfest.

A Bauernfest é a Festa do Colono Alemão e acontece entre o final de junho e início de julho. Durante esse período (em circunstâncias de não pandemia) a cidade lota e o clima de animação é total pelas redondezas do Palácio de Cristal e da Cervejaria Bohemia. O festival conta com música, dança, pratos típicos e, claro, cerveja.

No verão, o clima de Petrópolis é quente, porém nada comparado às altas temperaturas cariocas. O único ponto de alerta para quem pretende conhecer a cidade no auge da estação são as chuvas. Elas podem ser frequentes e fortes, especialmente nos fins de tarde e noite. Vale a pena ficar de olho na meteorologia.

ONDE FICAR: DICAS DE HOTÉIS E POUSADAS EM PETRÓPOLIS

Assim como na questão da locomoção, escolher onde se hospedar em Petrópolis tem tudo a ver com o perfil da viagem.

Se você quer praticidade, a região central é a indicada pra quem está preparando um roteiro em Petrópolis. Ela também é o coringa daqueles que desejam se concentrar nos pontos turísticos e no comércio.

Os que não dispensam contato íntimo com a natureza podem considerar outros bairros e distritos. Estas opções também atendem quem pretende explorar trilhas específicas.

Descubra os melhores bairros e as nossas dicas de hotéis e pousadas em Petrópolis:

Centro

Sem dúvidas, o centro é preferência entre a maioria dos visitantes. A área concentra grande parte das principais atrações, além de uma rede hoteleira caprichada. Quem escolhe se hospedar na parte histórica também tem acesso farto a restaurantes e lojas.

Veja as nossas dicas de hospedagens no centro de Petrópolis:

Econômico
  • O Hostel Petrópolis fica em uma localização certeira, a menos de um quilômetro tanto do Museu Imperial quanto da Rua Teresa. De quebra, a boa recepção dos proprietários é destacada entre os hóspedes que já passaram por lá.
Bom custo-benefício
  • No coração do centro histórico de Petrópolis, a Princesa Isabel Pousada e Hotel dispõe de piscina, café da manhã, e quartos com banheira. O Museu Imperial fica a 8 minutinhos de caminhada.
Luxo
  • Uma das principais opções de luxo no centro é o Hotel Reggia Catarina. Ele está de cara para a Catedral de São Pedro de Alcântara e apresenta arquitetura e decoração coloniais.

Valparaíso

Valparaíso é um bairro residencial da área central. É a alternativa para quem quer conferir os pontos turísticos do centro histórico, mas sem abrir mão do sossego. Também é reduto de um polo gastronômico, ponto alto para conhecer novos restaurantes.

Veja as nossas sugestões de hospedagem em Valparaíso:

Econômico
  • A Pousada Valparaíso tem aura acolhedora. Seu ambiente inclui jardim, cozinha compartilhada e quartos confortáveis.
Bom custo-benefício
  • O Vale Valparaíso Inn merece entrar na categoria custo-benefício. A propriedade é super elogiada pelos hóspedes em termos de receptividade e suas instalações são muito bem cuidadas.
Luxo
  • O Hotel Petrópolis Inn não é exatamente luxuoso, mas mantém toques de requinte. A vista do terraço é um diferencial, assim como seu bem avaliado café da manhã.

Corrêas e Bonfim

Corrêas e Bonfim já são bairros com certa distância do centro de Petrópolis. Eles estão a uns 25 minutos de carro. Por serem portas de entrada para o Parque Nacional da Serra dos Órgãos, atraem os aventureiros em busca das trilhas do parque. A região também é ótima para recarregar as energias pertinho da natureza.

Dê uma olhada em opções de estadia:

Econômico
  • O EcoLodge Hostel fica na Estrada do Bonfim, em ponto estratégico para explorar o parque nacional. Oferece lounge, dormitório misto e quartos privativos.
Bom custo-benefício
  • A Pousada Quinta das Nascentes proporciona aquela vibe perfeita para se desconectar. Chalés, piscina de água natural, e até mesmo aulas de responsabilidade ambiental são elementos que você encontra por lá.

Itaipava

Muita gente acha que Itaipava é uma cidade separada de Petrópolis, mas, na verdade, trata-se de um distrito da Cidade Imperial. A confusão não é de se estranhar. O lugar tem tanta personalidade própria que parece mesmo um destino à parte. Seus atrativos vão de pousadas charmosas até cachoeiras, passando pelo popular Castelo de Itaipava.

Quem escolhe ficar na região também tem shopping, restaurantes e bistrôs à disposição.

Confira alguns hotéis e pousadas em Itaipava:

Econômico
  • No time dos hostels, temos o Hostel 040 como representante. Sua agradável área verde, com piscina e redes, chama atenção. O lugar ainda disponibiliza aluguel de bicicleta, o que é perfeito para a prática de ciclismo, atividade recorrente em Itaipava.
Bom custo-benefício
  • A Pousada de Itaipava fica no centro do distrito, permitindo passeios a pé por ali. Em matéria de comodidade, não decepciona. O espaço tem quartos amplos e suíte com banheira de hidromassagem.
Luxo
  • Itaipava talvez seja o local de Petrópolis com mais hospedagens 5 estrelas. Entre elas está o Quinta da Paz Resort. Além de jardim, fornece piscina, academia, bar, restaurante, entre outros agrados.

Fazenda Inglesa e Rocio

Dois dos meus bairros favoritos. Eles ficam perto de alguns recantos que valem a visita, como o Vale do Amor. A Fazenda Inglesa e o Rocio estão a cerca de 30 minutos do centro. Ao contrário de Itaipava, não possuem centrinho próprio ou atrações próximas umas das outras. Por isso, para aproveitar melhor, o ideal é ir de carro.

Confira dicas de onde ficar na Fazenda Inglesa e Rocio, em Petrópolis:

Econômico
  • Rústico e aconchegante, o Chales Bamboo Jungle passa a sensação de casinha interiorana. Quem se hospeda tem direito a fogão de lenha e vista das montanhas.
Bom custo-benefício
  • Café da manhã preparado com carinho, jardim excelente e acomodações hospitaleiras: a pousada Pinheiros do Rocio tem uma boa combinação para tornar o dia a dia do hóspede mais agradável.
Luxo
  • A Passaredo é uma casa de campo com tudo que se tem direito. Com vários cômodos e um imenso jardim, é cercada tanto pela beleza da decoração quanto pela beleza verde ao redor.

Araras

Assim como a Fazenda Inglesa e o Rocio, a região de Araras combina com ecoturismo. Este é mais um lugar no estilo refúgio natural e abriga ótimos achados quando se trata de pequenos restaurantes e produtores. Também é vizinho do bairro Vale das Videiras.

Onde se hospedar em Araras:

Econômico

A Hospedaria da Roça fica perto do centro comercial e gastronômico do Vale das Videiras. Tem quartos com lareira e restaurante de culinária brasileira.

Bom custo-benefício

A Pousada Chácara Aracê é dona de excelente avaliação e de um visual privilegiado. Seus pontos positivos mais citados pelos visitantes são a respeito do conforto, limpeza e comodidade.

Luxo

Uma das hospedagens mais conhecidas do bairro é a Pousada das Araras. Além da grande infraestrutura, mantém forte integração com o meio ambiente. Na propriedade há trilhas e cachoeira.

O QUE FAZER EM PETRÓPOLIS: ROTEIRO PARA 2 OU 3 DIAS

Quando o assunto é o que fazer em Petrópolis, cultura, sabor e natureza se juntam em uma mistura fantástica.

Neste roteiro em Petrópolis para 2 ou 3 dias, o objetivo é apresentar sugestões para uma primeira viagem pela região. Por isso, a atenção maior está naquelas atividades clássicas que conseguem proporcionar uma experiência bem completa nesse sentido. Lembrando que você pode adaptá-lo como preferir.

Os dois primeiros dias percorrem os pontos quase “obrigatórios”. Caso tenha um terceiro disponível, ele é dedicado a outros encantos menos famosos, mas também marcantes. Vamos a eles?

Roteiro em Petrópolis: DIA 1 – Centro Histórico

Roteiro em Petrópolis para 2 ou 3 dias

Foto: Getty Images

Se está chegando cedo na serra, muitas surpresas lhe aguardam desde o primeiro dia. Que tal começar a descobrir Petrópolis através do Museu Imperial? O palácio foi lar de veraneio de Dom Pedro II e tem um acervo notável, que explica a relação da cidade com a época do império.

Em seguida, caminhe por 500 metros até a bela Catedral de São Pedro de Alcântara, construção em estilo neogótico. Ali você está perto de ingressar na charmosa Avenida Koeler, lar de casarões históricos, como aquele onde morou a Princesa Isabel. No finzinho dela, vai avistar a Praça da Liberdade (ou Praça Rui Barbosa). Se a fome apertar, não se preocupe. Existem bons e variados restaurantes pelo entorno.

Colada na praça está a Rua do Encanto e, junto, a Encantada. Esse é o apelido carinhoso da Casa de Santos Dumont. Só de chegar perto e espiar a construção, é possível notar o ar pitoresco. E visitá-la por dentro vale a pena! Trata-se de um mergulho pelo universo do pai da aviação.

Aproveite o trajeto para contemplar também o Relógio das Flores. Depois, parta para o Palácio de Cristal. A andança é um pouquinho maior, são cerca de 800 metros, mas o trajeto é gostoso. Chegando lá, prepare o celular ou a câmera: o palácio é lindo e ponto queridinho para cliques.

Parta, então, para a Cervejaria Bohemia. A marca é responsável pelo elogiado Tour Cervejeiro, uma das atrações mais buscadas da cidade. A experiência conta com interatividade e degustação. O local ainda oferece bar e restaurante. Se quiser, pode aproveitar para jantar ou petiscar ali mesmo.

Roteiro em Petrópolis: DIA 2 – Palácio Quitandinha, Rua Teresa e Itaipava

O que fazer em Petrópolis: Palácio Quitandinha

Foto: Getty Images

O 2° dia pode parecer mais espaçado à primeira vista, mas é porque seus atrativos exigem horas para serem curtidos. Como é o caso do Palácio Quitandinha, primeira parada.

O vistoso cenário foi inaugurado com o objetivo de ser o maior cassino-hotel da América Latina, lá na década de 40. Luxuoso e moderno, chegou a receber personalidades como Walt Disney e Greta Garbo. Hoje em dia é administrado pelo Sesc, que o transformou em espaço cultural e de lazer. A visita interna impressiona e é feita com ou sem guia. Já a área externa é boa para admirar o lago e relaxar na grama.

Depois do Quitandinha, chega o momento de conhecer a Rua Teresa. O deslocamento entre um ponto e outro é relativamente curto, uns 10 minutos de carro, táxi ou uber.

A Rua Teresa é conhecida por ser o principal polo de moda de toda a região serrana do Rio de Janeiro. O ambiente é um shopping a céu aberto e quem gosta de compras dificilmente sai de mãos vazias. Democrático, o comércio atende a todos os estilos e bolsos.

Para a noite, a dica é uma volta pelo centrinho de Itaipava. Com vida noturna animada, o distrito é reduto de bares, pubs e casas de show. Mas se preferir continuar pelo centro da Cidade Imperial, também não tem erro. Você pode experimentar o cardápio do Bordeaux Vinhos ou um hambúrguer da Casa Pellegrini.

Roteiro em Petrópolis: DIA 3 – Cachoeira do Poço Negro e Vale do Amor

Antes de ir embora, o que acha de ter uma amostra das inúmeras belezas naturais de Petrópolis? Assim você já começa a se preparar para a próxima visita.

Não é raro encontrar cachoeiras na cidade, uma delas é a Cachoeira do Poço Negro, no Rocio. Vá pegando a estrada no sentido Juiz de Fora x Rio e entre no bairro, na altura do km 76. Siga até chegar em uma ponte e vire a direita. Ali é o ponto de partida de uma trilha curtinha e fácil até a queda d’água.

Próximo ao Rocio está a Fazenda Inglesa, e é lá que fica o Vale do Amor. O caminho até ele é um pouco dificultoso, com alguns trechos de terra batida, mas a chegada compensa. O santuário ao ar livre faz jus ao nome e deixa qualquer um apaixonado. Criado para abraçar todas as crenças e religiões, o ambiente no meio das montanhas dá show de pluralidade e boas energias.

A esta altura, provavelmente já é hora de se despedir (por ora). Para fechar com chave de ouro, aproveite a descida da serra e faça uma clássica parada na Casa do Alemão.

Baixe o mapa

Gostou da nossa sugestão de roteiro em Petrópolis? Baixe o mapa para acompanhar dicas em tempo real durante a sua viagem:

As opções de o que fazer em Petrópolis nos deixa com vontade de ter tempo para aproveitar ainda mais coisas. Como as muitas trilhas do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, por exemplo. Entretanto, seguindo o roteiro em Petrópolis para 2 ou 3 dias, a certeza é de ter valorizado cada minuto nessa cidade fascinante.

Tags:   

«
»