TOPO

“Roteiro em Budapeste para 3 dias: guia completo com mapa”

Roteiro em Budapeste com visita aoParlamento de Budapeste

Um dos principais destinos do Leste Europeu, a capital da Hungria não decepciona seus visitantes. Seja pelos impressionantes edifícios neogóticos, pelo excelente custo-benefício ou pela animada vida noturna, é fácil se apaixonar pela cidade. Contudo, montar um roteiro em Budapeste pode ser uma tarefa difícil.

A maioria dos viajantes separa 3 dias para conhecer Budapeste. O tempo é, de fato, suficiente para conhecer os principais pontos turísticos e ter uma visão global do lugar. Porém, a cidade não é pequena e exige um bom planejamento para otimizar o tempo.

Para ajudar na missão, preparei uma sugestão de roteiro em Budapeste que reúne as principais dicas e macetes aprendidos nos meses em que morei na cidade. Confira tudo a seguir!

COMO CHEGAR EM BUDAPESTE

Chegar em Budapeste é muito fácil, já que a cidade se conecta a vários destinos europeus de avião, trem e ônibus.

Para quem chega à capital da Hungria de avião, a linha de ônibus 100E conecta o aeroporto ao centro da cidade por 900 florins (R$ 12).

quem chega em Budapeste de trem, pode completar o trajeto até o seu hotel de metrô, tram ou ônibus – dependendo do itinerário. Como em Budapeste há várias estações de trem, a melhor rota dependerá do local de desembarque e hotel escolhido. A boa notícia é que o Google Maps funciona muito bem na cidade e te ajudará com os trajetos.

Para quem chega à cidade de ônibus, o esquema não muda. Aliás, os terminais de ônibus mais importantes ficam colados nas estações de trem, o que facilita a mobilidade.

Como se locomover em Budapeste

Quanto à locomoção, tudo dependerá do seu ânimo e disposição.

Budapeste é uma cidade grande, mas a maioria dos pontos turísticos se concentram nos arredores de 3 pontos-chave: Castelo de Buda, Basílica de Santo Estevão e Praça dos Heróis. Dividindo o roteiro por zonas (como fizemos), não é impossível percorrer tudo a pé.

Porém, caso prefira economizar energia (ou fugir do calor, que no verão é bastante intenso), usar a excelente rede de transporte público da cidade é a melhor opção. 

QUANTO TEMPO FICAR EM BUDAPESTE

Para conhecer os principais pontos turísticos da cidade em um ritmo acelerado, um roteiro em 3 dias são suficientes. Caso tenha 4 ou 5 dias no seu roteiro em Budapeste, poderá fazer tudo com mais calma (o que eu fortemente recomendo) e até mesmo estender o passeio para a pequena cidade de Szentendre.

Neste roteiro em Budapeste, trouxemos todos os pontos essenciais para se visitar em 3 dias na cidade. 

ONDE SE HOSPEDAR EM BUDAPESTE

Como mencionei no tópico anterior, existem algumas zonas-chave para turistas em Budapeste. Além disso, é importante saber que Budapeste é divida em 23 Distritos que seguem o padrão numeral.

Para quem quer economizar tempo nos deslocamentos, o Distrito V é definitivamente o mais central. Nele estão posicionados a Basílica de Santo Estevão, o Parlamento de Budapeste e a Fashion Street, por exemplo. As demais atrações turísticas da cidade estão posicionadas nos arredores desse Distrito, por isso é possível fazer praticamente tudo a pé.

Confira as nossas recomendações de hotéis no Distrito V, em Budapeste:

Econômico
  • Maverick Hostel & Ensuitesde camas em quarto compartilhado a confortáveis quartos privativos, este hostel também dispõe de uma cozinha para uso comum e algumas cortesias. No mesmo prédio, ainda há um mercado 24h. De bônus, está do lado de uma estação de metrô.
  • Pal’s Hostel and Apartmentsa excelente localização proporciona uma vista imperdível da Basílica de Santo Estevão, no coração do Distrito V. Oferece acomodações compartilhadas e privativas, incluindo apartamentos para famílias.
Bom custo-benefício
  • Blue Luxury Apartment e Kálmán Apartman: próximos um do outro, ambos os apartamentos são confortáveis e comportam até 4 hóspedes. As acomodações também estão próximas do metrô e da estação de trem Nyugati, umas das principais de Budapeste.
  • Gateway Budapest City Center: a uma curta caminhada do Parlamento de Budapeste, este apart-hotel fica em um prédio renovado e oferece acomodações modernas, com cozinha, para até 4 pessoas.
Conforto
  • Prestige Hotel Budapestem uma área calma, entre o Parlamento e a Basílica, este elegante hotel 4 estrelas consegue entregar um bom custo-benefício apesar das tarifas mais elevadas. 
  • Kempinski Hotel Corvinus Budapest: excepcionalmente central, é um dos hotéis mais luxuosos de Budapeste e onde muitas celebridades escolhem se hospedar. Possui restaurantes, bares, cafeterias, spa, academia e sauna.

Outras opções interessantes e um pouco mais econômicas para se hospedar em Budapeste são os Distritos I, VI e VII. Cada um tem características próprias e bastante diversificadas. No nosso post sobre hospedagem em Budapeste você encontra mais informações e também pode conferir as minha sugestões de hospedagem nessas áreas.

ROTEIRO EM BUDAPESTE PARA 3 DIAS

Para um roteiro de 3 dias em Budapeste, é indispensável pensar na locomoção e formas de otimizar o tempo. Como a cidade é grande, há o risco de andar demais sem conseguir ver muita coisa.

Importante dizer que duas famosas atrações de Budapeste – a Ponte das Correntes e a Citadella – estão atualmente interditadas para obras. No caso da Ponte das Correntes, que é a principal ponte da cidade, isso ainda reflete em um significante prejuízo em termos de locomoção.

Por isso, a minha sugestão de roteiro leva em conta esses fatores e foi pensada para otimizar o tempo dos deslocamentos.

Ao final do post, você pode baixar o nosso mapa no Google Maps do seu celular para checar a localização de todos os pontos sugeridos durante a viagem.

Roteiro em Budapeste: DIA 1

Liberty Square

Começamos o primeiro dia de roteiro em Budapeste na Liberty Square, uma grande e agradável praça da cidade que, frequentemente, abriga feiras e eventos culturais. No passado, o local também já foi palco de protestos e revoluções.

Três monumentos, em especial, chamam a atenção nessa praça. Todos envoltos em polêmicas e contradições.

O mais polêmico é o Memorial da Ocupação Alemãno qual o Anjo Gabriel (padroeiro da Hungria) é atacado por uma águia, que representa a Alemanha nazista. Erguido em 2014, até hoje o monumento gera a revolta de húngaros e da comunidade judaica. Isso porque, bem longe do papel de vítima, a Hungria participou ativamente no envio de mais de 450.000 judeus, ciganos e homossexuais aos campos de extermínio.

Em frente ao monumento, você verá imagens, fotografias, cartas e outros objetos (deixados, em sua maioria, pelas famílias das vítimas Holocausto) em forma de protesto.

Do outro lado da praça está o Monumento aos Soldados Soviéticos, em homenagem aos militares comunistas que ajudaram a “salvar” a Hungria dos nazistas. Esse é o último memorial deste tipo ainda em pé na cidade, já que todos os demais foram destruídos ou retirados.

Em contraste, também há uma estátua do ex-presidente estadunidense Ronald Reagan, como sinal de agradecimento pela sua contribuição para a queda da União Soviética e do regime socialista no país.

Liberty Square em Budapeste

Na foto, o Monumento aos Soldados Soviéticos

Parlamento de Budapeste

Da Liberty Square, poucos passos te levarão à construção mais icônica de Budapeste. Tire um tempo para dar a volta no edifício e admirar cada detalhe do prédio neogótico – é realmente impressionante!

Caso queira entrar, é possível fazer um tour guiado organizado pelo próprio Parlamento de Budapeste – custa 6.400 florins (R$ 84) para adultos não-cidadãos da União Europeia e é melhor agendar com antecedência. No tour, que dura 45 min, você conhecerá um pouco do interior, visitará uma das salas das sessões e verá a coroa usada pelos reis na era imperial.

Do lado de fora, aproveite também para checar o memorial da Revolução de 1956, que mudou a história do país e moldou o que ficou conhecido por “socialismo goulash” – um regime bem mais flexível que o das demais repúblicas soviéticas.

Roteiro em Budapeste com visita aoParlamento de Budapeste

Impossível não se impressionar com a beleza do Parlamento de Budapeste

Calçados à beira do Danúbio

Após a visita ao Parlamento, se direcione para a orla do rio e siga à esquerda. Rapidamente, você encontrará o monumento dos sapatos à beira do Danúbio.

Esse comovente memorial homenageia as vítimas fuziladas no Danúbio por milicianos do partido húngaro fascista Cruz de Flechas entre 1944–45, durante a Segunda Guerra Mundial.

Os sessenta pares de sapatos representam os calçados deixados pelas vítimas antes de serem atiradas no rio.

Ponte Margarida e Ilha Margarida

Continue caminhando pelas margens, no sentido do Parlamento Húngaro, e passe pela Ponte Margarida (Margaret Bridge / Margit híd). Aproveite para admirar a paisagem no percurso, que é linda.

Exatamente no meio da ponte, haverá uma entrada de acesso para a Ilha Margarida (Margaret Island / Margit-sziget).

A ilha abriga um grande parque com jardins, fontes, águas termais e espaços agradáveis. Percorrer todo o parque tomaria um bom tempo – mesmo com bicicletas, que são alugadas perto da entrada. Para este roteiro, sugiro conferir as Fontes Musicais (Margitszigeti szökőkút), onde acontece um espetáculo de hora em hora – apenas de maio a outubro.

Se quiser parar para um lanche, estique um pouco o passeio pela margem leste da ilha, onde você encontrará alguns bares e restaurantes (muitos só abrem nos meses mais quentes). Veja a localização no mapa, ao final do post.

Fontes Musicais em Budapest

Fontes Musicais em atividade

Castelo de Buda

Para a próxima parada, continue a caminhada na Ponte Margarida pela direita e, ao final, desça as escadas e pegue o bonde para a estação Clark Ádám (linha 19). Você pode comprar o ticket (350 florins / R$ 5) no app BudapestGO ou em uma máquina automática. Caso prefira ir andando, serão 2,5 km de caminhada.

Para finalmente acessar o Castelo de Buda, é possível subir as escadarias por vários pontos de acesso ou poupar esforços usando um funicular (Budavári sikló) por 1200 florins (R$ 16).

O Castelo de Buda (Budavari Palota) não é um prédio, mas um grande complexo onde vivia a realeza da Hungria. Como fica no alto de uma colina, garante uma vista incrível da cidade, com o Danúbio e o Parlamento de plano de fundo.

Você pode conhecer toda a área externa sem pagar nada, mas por um custo também é possível visitar a Galeria Nacional Húngara (3200 florins / R$ 42) e o Museu de História de Budapeste (2000 florins / R$ 27). Ambas as entradas são gratuitas para quem tiver o Budapest Card, passe turístico oficial com transporte público.


Leia também:


Bastião dos Pescadores e Matthias Church

O próximo destino também fica no complexo do Castelo de Buda, então será fácil acessá-lo a pé.

O Bastião dos Pescadores é uma fortificação com torres de observação construídas durante o Império Austro-Húngaro. Possui uma varanda com 7 torres ornamentadas, representando as 7 tribos magiares que fundaram a Hungria.

As sacadas brancas em estilo neogótico garantem uma incrível moldura e, para mim, a melhor vista de Budapeste – especialmente no pôr do sol, quando a luz fica ainda mais bonita.

O acesso ao complexo é gratuito, mas há uma área no andar superior cuja entrada é paga (1.000 florins / R$ 14). 

Colada no Bastião dos Pescadores, está a belíssima Igreja de Matias (Mátyás Templom), onde foram coroados todos os reis do Império Áustro-Húngaro. A entrada custa 1800 florins / R$ 24.

Recomendo esperar o anoitecer por ali mesmo, pois a vista noturna do Bastião dos Pescadores também é espetacular. 

Dependendo da localização da sua hospedagem, desça a colina em direção ao Danúbio e pegue o metrô da estação Batthyány.

Roteiro em Budapeste: Bastião dos Pescadores

Final da tarde no Bastião dos Pescadores com a Igreja de Matias ao fundo

Roteiro em Budapeste: DIA 2

Great Market Hall

O segundo dia de roteiro em Budapeste começa no Great Market Hall, um mercadão onde você encontrará de tudo: hortifruti, charcutaria, muita páprica, artesanatos e souvenires (made in China & Hungria), além de barracas servindo pratos tradicionais.

Quanto aos pratos… você encontrará melhores em outros lugares da cidade! Mas vale a pena passar no mercado se a intenção for comprar lembranças e ver um pouco do movimento local.

Importante: o mercado não abre aos domingos.

Great Market Hall em Budapest

Great Market Hall: o mercadão de Budapeste

Fashion Street

Do mercadão, vale a pena seguir a caminhada pela Rua Váci até a Fashion Street. Essa é a principal área comercial de Budapeste e reúne de grandes grifes a lojas de departamento, além de muitos restaurantes e cafés. Caso você tenha pulado o mercadão, também poderá comprar lembranças aqui.

Aproveite para dar uma circulada na Praça VörösmartyBI, onde anualmente é instalado o principal mercado de Natal de Budapeste, além de outros festivais. Na praça também fica o histórico Café Gerbeaudaberto desde 1858. Elegante e tradicional, mas um pouco caro, o local costuma reunir grandes filas.

Depois, siga em direção ao Danúbio e explore o agradável calçadão na orla. Olhos atentos para as estátuas: Budapeste é cheia delas, mas nessa áreas estão algumas famosas, como a Little Princess Statue e a Girl With Her Dog.

Basílica de Santo Estevão

A algumas quadras dali, você encontrará o maior templo religioso do país – e também um dos mais bonitos. A Basílica é dedicada a Estevão I, primeiro rei da Hungria e grande responsável pela cristianização da nação.

A entrada na Basílica é gratuita, mas é solicitada uma doação de 200 florins / R$ 3. Na área interna, você poderá ver a mão mumificada de Santo Estevão.

Também é possível visitar a sala do Tesouro (400 florins / R$ 6), que reúne fatos sobre a história da Basílica e artes sacras, e subir na cúpula (500 florins / R$ 7), de onde você terá uma bela vista panorâmica da cidade.

Roteiro em Budapeste: Basílica de Santo Estevão

Basílica de Santo Estevão e a rua mais bonita da cidade

Retrô Lángos

Saindo da Basílica, você poderá almoçar em um dos vários bons restaurantes nos arredores e depois partir para a sobremesa: recomendo os nada húngaros (mas incríveis) macarons da Chez Dodo ou os tradicionais kürtőskalács da Chimney Cake Shop.

Caso prefira um lanche robusto e econômico, a dica é provar a comida de rua típica da Hungria: o Lángos.

Esse prato nada mais é do que uma massa frita com alguma cobertura. A receita original leva apenas manteiga de alho ou sour cream com queijo no topo, mas você também encontrará muitas outras variações de sabores.

Para acompanhar, peça um chope gelado ou uma limonada (as de Budapeste são especiais, não deixe de provar!).

Distrito VII

Após o almoço, que provavelmente não terminará tão cedo, é hora de explorar o Distrito VII.

Esse Distrito abriga o antigo bairro judeu de Budapeste – onde havia a maior comunidade antes da Segunda Guerra Mundial e, inclusive, foi instalado o Gueto de Budapeste.

Cheio de história, você verá sinagogas, antiquários e restaurantes antigos.

As paredes pretas e os prédios detonados não escondem o passado do local. Mas não se engane: apesar do ar decadente, esse é o centro cultural e o coração da vida noturna de Budapeste. Em razão da revitalização promovida nas últimas décadas, ali se encontram hoje alguns dos melhores bares e restaurantes da cidade.

Para explorar melhor o bairro, você pode fazer uma (ou todas, dependendo do seu interesse e ritmo) das opções de passeios a seguir:

Grande Sinagoga de Budapeste

Concluída em 1859, a Sinagoga em estilo mourisco é a maior da Europa e segunda maior do mundo (perdendo apenas para Jerusalém). A construção sobreviveu em pé à Segunda Guerra Mundial e todos os anos atrai milhares de visitantes, judeus e não judeus.

O bilhete de entrada na Sinagoga (7.000 florins / R$ 93) inclui um tour guiado opcional pelo templo religioso e acesso ao Museu Judaico Húngaro, Templo dos Heróis, memoriais e ao Cemitério do Holocausto – todos no mesmo complexo. Para evitar as filas, é melhor comprar o ingresso online antecipadamente.

Importante: a Sinagoga não abre aos sábados.

Free Walking Tour

Outra opção interessantíssima para conhecer mais sobre a história do bairro e da cidade é fazer um Free Walking Tour temático, no qual você saberá mais sobre o envolvimento da Hungria na Segunda Guerra Mundial e detalhes do Cerco de Budapeste.

O tour que eu fiz e recomendo é em espanhol – apesar de eu não falar a língua, pedi para a guia falar devagar e consegui compreender bem. Se você tiver preferência por tours em inglês, este outro possui excelentes avaliações, mas acontece no período da manhã.

Ruin Bar

No final do dia, que dal dar uma conferida na cena noturna do Distrito VII? Para isso, nada mais autêntico do que conferir um dos famosos ruin bars.

Ruin Bar, ou bar em ruínas, é um conceito nascido no início dos anos 2000 em Budapeste, mais especificamente no pioneiro Szimpla Kert .

A história do bar é a seguinte: um grupo de estudantes resolveu salvar um prédio detonado (que iria ser demolido) e montar um bar com bebidas baratas. A estrutura decadente foi decorada com um monte de sucata: de banheira velha a poké bolas e cabines telefônicas. Não durou muito para o lugar se tornar “cool” e inspirar vários outros empreendimentos semelhantes na área. 

Eu recomendo passar no original nem que seja pra dar uma olhada na decoração, mas você também encontrará o conceito em vários lugares, como no arrumado restaurante israelita Mazel Tov e na casa noturna Instant-Fogas.

Szimpla Kert, o primeiro "ruin bar"de Budapeste

Szimpla Kert, o primeiro ruin bar de Budapeste

Roteiro em Budapeste: DIA 3

Avenida Andrássy

O terceiro dia de roteiro em Budapest começa na Avenida Andrássy, constantemente comparada à Champs-Élysées de Paris pela sua arquitetura, arborização e lojas de grife.

Honestamente, acho o potencial turístico da avenida supervalorizado. A avenida é bonita, mas não há tanto o que fazer a não ser admirar os prédios históricos, como a Ópera Estatal Húngara.

Ainda assim, a caminha é agradável e te levará à próxima parada (se quiser ganhar tempo, também é possível chegar de metrô).

Praça dos Heróis

Ao final da Avenida Andrássy está a maior e uma das mais importantes praças da cidade, a Praça dos Heróis (Heroes’ Square / Hősök tere).

No ponto central há um enorme monumento construído no Século XIX para celebrar o milésimo aniversário da conquista húngara. Sobre a coluna central, está o Arcanjo Gabriel. Ao redor da base, estátuas dos líderes das 7 tribos magiares responsáveis pela unificação da Hungria.  Por fim, nas colunas laterais, estão posicionadas estátuas de bronze de importantes figuras históricas do país.

Atrás da praça você encontrará o Városliget, um enorme e agradável parque bastante frequentado pelos locais.

Castelo de Vajdahunyad

No mesmo parque está o Castelo de Vajdahunyad, também construído para celebrar o milésimo aniversário da conquista húngara.

Ele é uma cópia do Hunyad Castle (ou Corvin Castle), na Romênia, e foi construído em diferentes estilos arquitetônicos para representar as diversas fases do país. Hoje o castelo abriga o Museu de Agricultura da Hungria, mas você pode visitar toda a área externa sem pagar nada.

Castelo de Vajdahunyad, Budapest

Mais um cantinho incrível para as fotos

Termas de Széchenyi

Após a visita ao Castelo, prepare-se para a sua experiência mais relaxante de Budapeste. 

A capital da Hungria fica sobre uma das maiores bacias termais do mundo e conta, somente na cidade, com mais de 100 fontes. Por isso, o ato de se banhar nas águas quentinhas e com propriedades medicinais está enraizado na cultura húngara.

Há vários parques termais em Budapeste, mas o maior e mais emblemático é o de Széchenyi. De todos que visitei, também foi o que mais gostei.

Sao 15 piscinas internas e 3 externas, com temperaturas que variam de 20 °C a 40 °C, além de saunas e salas de massagem. O ritual padrão é ficar pulando de piscina em piscina e experimentando as diferentes sensações que elas trazem.

Existem alguns tipos de ingressos, mas o mais básico já dá acesso a toda a estrutura, além de armário com cadeado, duchas e secador de cabelo. O ingresso custa a partir de 5.900 florins / R$ 78 e pode ser comprado no site oficial ou na bilheteria.

Recomendo levar na mochila: chinelos, toalha, roupa de banho, sabonete e produtos para o cabelo. Se precisar de algum desses itens, também é possível comprar ou alugar lá.

Dentro do espaço há cafeterias e um restaurante self-service bem simples (econômico e gostoso), mas também é permitido levar comida de fora.

Cruzeiro no Danúbio

Depois de uma tarde relaxante, que tal finalizar o último dia de roteiro em Budapeste em um cruzeiro no Danúbio?

Essa é uma das melhores formas de observar os mais belos edifícios de Budapeste, principalmente à noite, quando estão todos iluminados. 

Várias empresas organizam esse tipo de passeio. O que eu já fiz (veja aqui) custa 3.612 florins (R$ 50), dura 1 hora e inclui uma bebida de cortesia. 

BAIXE O MAPA

Gostou da nossa sugestão de roteiro em Budapeste para 3 dias de viagem? Abra o mapa das atrações no Google Maps do seu celular e acesse todas as dicas em tempo real durante a viagem!

 

 

 

Tags:   

«
»