TOPO

“Onde se hospedar em Lisboa”

Encontrar onde se hospedar em Lisboa está sendo um desafio no planejamento da sua viagem? Não é difícil entender isso, afinal são muitas regiões diferentes na cidade.

Um fator bem importante para se levar em consideração é que, apesar de o transporte público ser bem eficiente na capital portuguesa, o metrô não chega em todas as zonas da cidade, como Belém, por exemplo.

Por isso, o mais importante é definir as suas prioridades. A partir disso, poderá enxergar com mais clareza o que busca na hospedagem. Conforto, boa localização, tranquilidade, agitação: qual o seu perfil? Se está em dúvida, vou ajudar compartilhando as melhores dicas de bairros e hotéis na capital portuguesa!


Planejando uma viagem para Portugal? Não esqueça de contratar o seu seguro viagem obrigatório! Compare os valores das melhores seguradoras através da Seguros Promo e use o cupom VIAJAQUEPASSA5 para receber 5% de desconto.


BAIRROS EM LISBOA: ONDE SE HOSPEDAR? 

Lisboa é uma cidade com várias zonas diferentes, e talvez essa seja a informação mais relevante. Apesar disso, sempre alerto que nem todas elas são ideais para os turistas.

A verdade é que muitos bairros estão em áreas mais afastadas, que formam a região metropolitana. Portanto, as dicas a seguir de onde se hospedar em Lisboa são focadas em bairros que realmente valem a pena para curtir a viagem!

Baixa

Onde se hospedar em Lisboa: Praça do Comércio

Foto: Claudio Schwarz via Unsplash

Particularmente, considero a Baixa como a zona central mais indicada de onde se hospedar em Lisboa para quem busca estar perto de tudo. Ela é a mais próxima da Praça do Comércio, por exemplo, o que significa que abrange toda a zona comercial em volta.

De certa forma, você estará no coração do centro histórico, então já pode imaginar o ponto negativo: muito movimento. E, sim, essa região é bem movimentada por ser turística. Por outro lado, pense que você estará super bem localizado, pois além dos pontos turísticos no arredores, também terá fácil acesso a ônibus e metrô.

A Baixa facilita também o acesso a serviços como supermercado, restaurantes e farmácias, o que eu sempre considero positivo. Quanto aos preços, isso varia muito, pois Lisboa não é uma cidade tão cara quanto outras capitais europeias, como Paris ou Roma, por exemplo. Então, você encontrará hotéis com bom custo-benefício pela Baixa.

Vamos a algumas opções para você se hospedar:

Lisbon Lounge Hostel ($): uma excelente opção para os mais econômicos, é um hostel charmoso com boa localização. A recepção funciona 24h e há quartos para famílias, o que é uma grande vantagem em um hostel. Há também um bar e a decoração é bem diferenciada!

Yes Lisbon Hostel ($): também para um perfil econômico, o Yes é um hostel super moderno e fica logo ao lado da Praça do Comércio. Possui bar, lounge e recepção 24h. O hostel dispõe de quartos privativos e mistos, com 4 e 6 camas.

Pousada de Lisboa – Small Luxury Hotels Of The World ($$$$): hospedar-se na Praça do Comércio com serviço 5 estrelas tem o seu valor! O destaque desse luxuoso hotel é o restaurante do local e a vista incrível para o Rio Tejo!

Chiado

Chiado Lisboa

Foto: Sandra Grünewald via Unsplash

Qual a diferença entre a Baixa e o Chiado? Vamos considerar aqui que o Chiado é na região mais alta, mas é verdade que eles se confundem bastante, sim.

Particularmente, prefiro o Chiado à Baixa porque tem mais opções de restaurantes e lojas mais atrativas. Ele ainda é bem movimentado, principalmente de noite, já que há vários bares em volta. Aliás, o Chiado é o “bairro boêmio” de Lisboa.

Se vale a pena se hospedar nele? Eu diria que sim, e muito! Há tanto opções econômicas como de luxo, principalmente ao redor do Armazém do Chiado, um shopping center que gosto de visitar quando passo pela cidade.

Outro ponto importante é que ele também tem ônibus e metrô super acessíveis. Ao mesmo tempo, também se consegue ir para vários lugares andando, então pode ser uma economia na viagem.

Confira três opções de onde se hospedar em Lisboa no bairro Chiado:

Lisbon Lounge Hostel ($): Esse albergue é uma das opções mais econômicas e bem localizadas do Chiado, além de estar próximo de uma estação de metrô. Possui comodidades como recepção 24h e cozinha compartilhada, dispõe de quartos para apenas duas pessoas, caso você não queira dividir em dormitório misto.

GS Chiado Boutique Studios & Suites($$$): sempre considero opções de hospedagem em estúdios um ótimo custo-benefício, principalmente com uma localização como essa: entre o Rossio e o Chiado. O local é bastante confortável e algumas unidades possuem uma pequena cozinha, o que pode gerar uma grande economia na alimentação.

Dear Lisboa – Palace Chiado Suites ($$$$$): fãs de hotéis com arquitetura requintada podem escolher esta pousada com uma vista única. Além do ótimo serviço, ele fica em uma prédio do século XIX completamente renovado.

Alfama

Onde se hospedar em Lisboa: Alfama

Foto: Liam McKay via Unsplash

Agora vamos falar sobre o bairro favorito dos artistas! Aliás, você sabia que vários músicos e escritores brasileiros têm casa em Alfama?

O charme desta zona coloca ela entre os melhores lugares de onde se hospedar em Lisboa, mas há um ponto negativo: é um pouco menos central. Porém, se você não se importa com isso e procura um lugar com alma portuguesa e tranquilidade, opte por ele!

Apesar de ser considerado o bairro mais antigo da capital, isso não significa que as suas hospedagens também são antigas. Uma dica especial é que o melhor na zona são os apartamentos, que acabam sendo mais econômicos e funcionais – principalmente para grupos e famílias.

Veja as nossas sugestões de hospedagens em Alfama:

Alfama 34 ($$$): esse apartamento é bem moderno e compacto, ótimo para grupos de 4 pessoas. Uma vantagem é que conta inclusive com máquina de lavar roupa e fica próximo ao Castelo de São Jorge.

Hostel Petit Lusa ($$$): apesar do “hostel” no nome, essa opção é bem reservada e com quartos para famílias. Eles oferecem café da manhã e estão a apenas 6 minutos a pé da Estação de Trem e Metrô de Santa Apolónia.

Hotel Convento do Salvador ($$$): que tal se hospedar em um antigo convento, mas com um serviço incrível? Os quartos têm vista panorâmica e o hotel também fica próximo da estação Santa Apolónia, o que é ótimo para quem chega de trem.

Avenida da Liberdade

Agora estamos falando da rua mais cara de Lisboa. Por isso, serão dicas para quem busca lugares luxuosos e serviços 5 estrelas!

A Avenida da Liberdade é realmente incrível e com lojas e restaurantes de primeira classe. Quanto à localização, ela fica nos arredores do Marquês de Pombal, o que é considerado positivo. Entretanto, você precisará de transporte para ir a praticamente todos os pontos turísticos da cidade.

De certa forma, você vai reparar que os portugueses se inspiraram em ruas como a Champs-Élysées, em Paris, para criar essa avenida. Se deu certo? Podemos dizer que sim, mas é claro que com o toque da arquitetura local.

Confira algumas opções de hospedagem na Avenida da Liberdade:

Rossio Hostel ($): uma rara opção de hostel próximo da avenida, com design descolado e a uma curta caminhada da estação de metrô. Possui recepção 24h e oferece desde camas em quartos compartilhados a quartos privativos. O café da manhã está incluso em todas as diárias.

Turim Av. Liberdade Hotel ($$$): quartos espaçosos e modernos caracterizam este hotel com bom custo-benefício para um serviço 4 estrelas. Ele conta com bar, restaurante e estacionamento privado.

Tivoli Av. Liberdade Lisboa ($$$$$): o hotel 5 estrelas da rede mundial Tivoli está em um prédio restaurado de 1930 e conta com piscina, spa e jardim. A vista da cidade também impressiona e se estende até o rio.

Príncipe Real

Confesso que este bairro não era indicado até pouco tempo atrás, mas hoje é uma boa opção para se hospedar em Lisboa numa zona moderna e jovem. Mas por que a mudança?

Na verdade, o Príncipe Real sempre foi um bairro bem residencial, o que mudou nos últimos anos. Ele ainda continua com essa principal característica, mas agora com opções de restaurantes e hospedagens novos que chamam atenção.

O lado negativo é que o metrô não contempla todo ele, mas você ainda pode recorrer ao ônibus. E como já tenho experiência no assunto, vou alertar sobre as subidas: prepare o fôlego, pois é uma região mais íngreme!

As hospedagens são bem charmosas e com um clima bem caseiro. É uma zona boa, de fato, mas que para estadias rápidas pode não ser tão prática.

Veja dois hotéis bacanas em Príncipe Real:

Casa Oliver Boutique B&B($$$$): no estilo inglês “bed and breakfast”, esse hotel boutique está próximo da estação Rato e chama atenção pela decoração. Os quartos são confortáveis e com um belo design clássico.

Memmo Príncipe Real – Design Hotels ($$$$$): este é um hotel 5 estrelas na região e próximo da Av. da Liberdade. Conta com piscina e lounge, o que é mais raro de encontrar por ali, além de um restaurante para experiências gastronômicas.

Belém

Torre de Belém

Foto: Alex Paganelli via Unsplash

Sendo muito sincera, Belém não é o melhor bairro onde se hospedar em Lisboa. Embora seja muito bonito e próximo de vários pontos turísticos, a dificuldade é o transporte.

Como o metrô não chega até a zona, você fica mais dependente do ônibus ou elétrico. Apesar disso, é um bairro com opções confortáveis de hospedagem e também mais calmo.

Confira as principais dicas:

Famous Crows Lisbon Suites ($$$$): os quartos são muito confortáveis e a decoração se destaca, mas a melhor vantagem é que ele fica ao lado do Mosteiro dos Jerônimos. Por esse motivo, acredito que seja um bom custo-benefício.

Ver Belém Suites ($$$$): a 700 metros do Mosteiro dos Jerônimos, a hospedagem é no estilo de pousada com alto padrão e ótima para famílias e casais. Os quartos contam com máquina de café, frigobar e banheiro privado.

AFINAL, ONDE SE HOSPEDAR EM LISBOA?

Agora que você conheceu as principais zonas fica mais fácil responder isso. Eu sempre opto pela região mais próxima ao metrô, por isso indicaria da Baixa até Alfama. Mas não se esqueça: a melhor escolha de onde ficar em Lisboa sempre depende das suas prioridades!

Salve as nossas dicas no Pinterest!

Tags:   

«
»