TOPO

“Pisa: o que fazer, como chegar, onde se hospedar e dicas”

Pisa é um dos destinos mais conhecidos da Itália por conta da sua torre torta, atração que contribuiu para que a cidade se desenvolvesse com base no turismo.

Mas além do famoso monumento, existe muito o que ver e fazer em Pisa. Museus, restaurantes e diversos outros  prédios históricos fazem valer a viagem para o destino.

O Aeroporto Internacional Galileo Galilei e a fácil conexão por trem com cidades como Florença e Roma também auxiliam na logística. Para completar, a cidade também pode servir de base para conhecer outras cidades da Toscana.

Neste artigo, você vai conhecer as principais atrações de Pisa e saber informações importantes para planejar o seu passeio. Confira!

Como chegar e se locomover em Pisa

O Aeroporto Internacional Galileo Galilei recebe voos de toda a Itália e Europa, principalmente de companhias low cost como a Ryanair e Easyjet.

Para quem sai de destinos italianos mais próximos, o trem é a melhor opção. Além de ser, muitas vezes, o meio de locomoção mais barato, a vantagem é que a estação central fica bem próxima das principais atrações de Pisa. Consulte aqui os horários dos trens.

Outra boa opção para quem fará um roteiro passando por várias cidades da Toscana é alugar um carro

Para comparar os preços das locadores e fazer reservas de carro na Europa, a nossa recomendação é a Rental Cars, que além de confiável possui as melhores tarifas.

Já para se locomover em Pisa não há segredo, já que com exceção da Marina é possível fazer tudo a pé. E, mesmo na Marina, caso você não esteja de carro, é possível chegar de ônibus.

Quanto tempo ficar em Pisa

Pisa é uma cidade pequena, portanto, não é difícil conhecer suas principais atrações em 1 dia.

Se o seu foco for conhecer Florença, capital da Toscana, fazer só um bate e volta para a cidade da torre torta ainda vale muito a pena.

Agora, se você quiser conhecer um pouco além das opções mais óbvias do que fazer em Pisa, sugerimos de 2 à 3 dias na cidade. 

Onde se hospedar em Pisa

Caso você resolva se hospedar em Pisa, nem que seja por uma noite, saiba que há boas opções na cidade – das mais econômicas às mais charmosas.

Uma vez que as principais atrações se encontram no centro histórico e que a melhor forma de se locomover na região é a pé, é nessa área que recomendamos se hospedar.

Caso você tenha muitas malas ou queria economizar, a área nos entornos da estação central de trem também é válida.

Algo para se notar é que a maioria das hospedagem seguem o estilo Bed and Breakfast e possuem administração familiar. Grandes e modernas redes hoteleiras não são muito comuns.

Abaixo, confira as nossas sugestões de hospedagem em Pisa:

Econômico:

Pensione Rinascente: pensão familiar decorado com móveis de época e quartos para até 5 pessoas. A localização é excelente, próxima do Borgo Stretto, entre a piazza dei Miracoli e a estação de trem.

Hostel Pisa Tower: o hostel é super bem localizado – a poucos passos da Torre de Pisa – e oferece camas em quartos compartilhados a um preço bastante razoável. O ambiente é colorido e a limpeza é elogiada. Para quem vai no verão, um plus: tem ar-condicionado.

Bom Custo-Benefício:

Stazione22 B&B: ao lado da estação de trem, oferece um ambiente simples e confortável por tarifas amigáveis. De quebra, a anfitriã ainda fala português.

La Torre Garbata: ao lado da Piazza dei Miracoli, oferece quartos com ar-condicionado, mesa de trabalho, chaleira, cofre, TV e banheiro privativo.

Mediceo 42: com ambientes inteiramente renovados, oferece quartos modernos e confortáveis nas margens do Rio Arno e a uma caminhada de distância das principais atrações de Pisa.

Conforto:

Residenza D’Epoca-B&B Santa Caterina: em um um prédio histórico, os quartos são charmosos e incluem, na decoração, afrescos originais do século XVIII. As acomodações incluem TV, ar-condicionado e amenidades.

La Lu cozy rooms e La Lu cozy rooms 2: ambientes reformados e aconchegantes com algumas amenidades. Ambos estão muito bem localizados no centro histórico.

Rinascimento Bed & Breakfast: como o nome sugere, essa bonita pousada possui estilo renascentista. Os charmosos quartos são espaçosos e confortáveis, enquanto um bom café da manhã italiano está incluído nas diárias.

O que fazer em Pisa

Seja para um bate e volta de Florença ou uma viagem mais relaxada, Pisa consegue agradar.

Como em toda cidade italiana, uma das melhores atividades para se fazer em Pisa é caminhar pelas ruas, admirar os prédios antigos e perseguir os melhores restaurantes e gelaterias.

Mas, é claro, não dá pra deixar as atrações mais famosas passarem batidas!  Por isso, reunimos abaixo as principais atrações da cidade para você colocar no roteiro:

Piazza dei Miracoli

O que fazer em Pisa: Piazza dei Miracoli

Foto: Getty Images

Nesse grande campo você encontrará os principais monumentos de Pisa, todos declarados Patrimônios  Mundiais da Unesco: a Torre de Pisa, a Catedral, o Batistério, o Campo Santo e o Museu da Ópera.

Como estão todos reunidos em uma praça pública, você poderá visitar a área externa de todos os prédios – incluindo a Torre de Pisa – sem pagar nada.

Porém, para os mais curiosos e atentos, é possível visitar a parte interna dos monumentos individualmente ou através de passes combinados.

Catedral

A grande catedral, arquitetada no estilo Romano, demonstra muita beleza, riqueza e detalhes.

É possível perder horas observando cada uma das obras de seu interior todo decorado em ouro e mármore.

Batistério

Também no estilo romano, o local serve ao ordenamento dos religiosos, mas pode ser visitado.

Apesar disso, o seu interior não oferece muito a ser visto. Na minha opinião, a visita vale mais a pena caso você compre o passe com todas as atrações.

Torre de Pisa

Por conta do tipo de solo, a Torre de Pisa, construída no século XII, com o passar do tempo começou a inclinar, dando o famoso visual torto que conhecemos.

Além da sua bela vista de baixo, é possível subir as escadarias até o topo e apreciar uma vista lindíssima do alto da cidade.

Camposanto

É o cemitério do local, onde estão sepultados a maioria dos religiosos que atuaram em Pisa.

As covas são localizadas no chão, portanto o passeio é literalmente passando por cima das “tumbas”. O local ainda abriga sarcófagos romanos.

Museo dell’Opera

Possui vários monumentos feitos por artistas de Pisa, mas a atração mais interessante são as imagens mostradas no telão. Ali é possível ver todos os monumentos desde quando começaram a ser construídos, passando pela destruição durante a Segunda Guerra Mundial e a restauração da forma como vemos nos dias atuais.

Ingressos

Os ingressos, vendidos na bilheteria e no site oficial da Opera, custam a partir de 7 euros.

A visita à Torre de Pisa é mais salgada: custa 20 euros. Já o passe que inclui a entrada em todas as atrações tem o custo de 27 euros.

A entrada na catedral é gratuita, porém a quantidade de pessoas por hora é limitada. Por isso, é necessário retirar um bilhete no Museo dell’Opera. Caso você compre qualquer outro ingresso, o bilhete também estará incluído.

Outra opção interessante é fazer um tour guiado, principalmente na Torre de Pisa e na Catedral. Aqui você encontra várias opções de passeios:

 


Os horários de funcionamento das atrações variam de acordo com a época do ano, sendo mais extenso durante a alta temporada (entre Junho e Setembro).

Murale Tuttomondo

Murale Tuttomondo

Foto: Guglielmo Giambartolomei via Wikimedia Commons

O artista norte-americano Keiht Haring, famoso pelas suas obras de grafitagem na década de 80, deixou estampada a sua arte em vários lugares do mundo. Um desses lugares é Pisa.

O Murale Tuttotondo está a dois quarteirões da estação de trem, sentido centro histórico. A pintura transformou o local, tão marcado pelas construções antigas, em um grande mural colorido e contemporâneo.

Chiesa Santa Marina della Spina

Atrações em Pisa: Chiesa Santa Marina della Spina

Foto: Getty Images

É impossível deixar essa pequena Igreja passar despercebida durante sua visita à Pisa.

Localizada às margens do Rio Arno, foi construída no século XIII e já teve que ser transportada para uma zona mais alta por estar, inicialmente, em uma área de alagamento.

Arquitetonicamente é uma das atrações mais marcantes de Pisa. Para entrar, é cobrado um ingresso de 2 euros.

Borgo Stretto

O que fazer em Pisa: Borgo Stretto

Foto: Getty Images

Esse é um daqueles locais onde é possível ter uma experiência realmente pisana, já que é bastante frequentado também pelos nativos.

O lugar é um concentrado de comércios, cafés, lojas de grife e inclusive onde está localizada a casa onde nasceu Galileu Galilei.

Além disso, algumas vezes ao ano ocorrem feiras na rua, principalmente durante a época das festas de fim de ano.

Mura 

Mura de Pisa, Itália

Foto: Getty Images

Ao redor de parte de Pisa existem muros construídos durante o século XII, com altura de 11 metros.

É possível caminhar sobre eles, que por tantos anos foram destinados à proteção dessa parte da cidade, hoje conhecida como Cittadella Vecchia. Essa é uma boa sugestão de passeio para quem tem mais tempo na cidade.

Você pode entrar no local pelo valor de 3 euros a partir de 4 pontos distintos: da Torre Santa Maria, da Torre Piezométrica, da Piazza delle Gondole e da Torre di Legno.

O horário de funcionamento varia bastante de acordo com a época do ano, sendo mais extenso no verão e mais curto no inverno.

“Lungarno” – Roteiro pelas margens do Rio Arno

O que fazer em Pisa: passear nas margens do Lugarno

Foto: Getty Images

O Arno não é atração exclusiva de Pisa, já que é o principal rio da Toscana, cortando várias cidades. Justamente por isso, ele foi um importante meio para o desenvolvimento urbano, além de canal de transporte até o século XIX.

Hoje, às suas margens, estão localizados vários restaurantes, hotéis, igrejas, jardins, construções históricas e pontes de onde é possível ver lindos pores-do-sol.

Algumas das principais atrações no “lungarno” são: Museo Nazionale di S. Matteo, Palazzo Roncioni, Palazzo Toscanelli, Palazzo Lanfranchi e Chiesa del Santo Sepolcro.

Fortezza di Pisa e Giardino Scotto

Fortezza di Pisa e Giardino Scotto: o que fazer em Pisa

Foto: Getty Images

Outra atração imperdível para quem terá mais tempo na cidade, o espaço é um parque aberto ao público, cercado por muros construídos durante a idade média.

A fortaleza, que por muitos anos foi uma importante proteção de Pisa, hoje conserva seus muros restaurados e proporciona uma experiência que mistura o moderno com o antigo.

A entrada é gratuita e o horário de funcionamento é das 9h às 18h (ou às 20h, no verão).

Basilica Romanica di San Piero a Grado

Basilica Romanica di San Piero a Grado, Pisa, Itália

Foto: Getty Images

A basílica é uma das primeiras igrejas a serem construídas em Pisa, ainda no século IV, e é reconhecida como Patrimônio Mundial da Unesco. Apesar de ter sido restaurada e modificada várias vezes, conserva o estilo romano

O monumento fica um pouco mais distante do centro, mas é caminho para a Marina de Pisa. Então, caso você também decida conhecê-la, basta pegar um ônibus saindo da estação de trem e descer um pouco antes. A entrada é gratuita e o horário de funcionamento, em regra, é das 8h às 19h.

Museo Nazionale di Palazzo Reale

Foto: Federigo Federighi via Wikimedia Commons

Como o nome diz, o atual museu já foi moradia da família real em Pisa e sua exposição gira em torno da realeza. Estão expostos de objetos pessoais, roupas e utensílios domésticos até os meios de transporte que usavam durante o século XIX.

A visa ao museu leva cerca de 1 a 2 horas e ocorrem de Quinta a Segunda. Os ingressos custam 5 euros.

Palazzo Blu 

Foto: Miguel Hermoso Cuesta via Wikimedia Commons

O espaço, que originalmente era uma casa onde viveram várias famílias influentes de Pisa, hoje é uma casa cultural e museu importante para a comunidade local.

Por isso, essa é uma ótima oportunidade de conhecer a cidade mais a fundo, para além do turismo tradicional.

O lugar recebe várias mostras que mudam ao longo do ano, além de uma coleção permanente que fala sobre a história e curiosidades da cidade.

O Palazzo Blu é aberto diariamente em horários variados (confira aqui) e a entrada tem um custo de 3 euros.

Marina di Pisa

Marina de Pisa na Itália

Foto: Getty Images

A maior prova de que tem muito mais opções de o que fazer em Pisa, além do famoso centro histórico, é a região da Marina, que possui lindas praias.

Assim como em muitos outros lugares da Itália as praias não são de areia, mas de pedras. Por isso, meu conselho é ir com algum sapato apropriado para entrar no mar.

Então, se você tiver mais de um dia para aproveitar a cidade, pense em acrescentar essa parada em seu roteiro.

Onde comer em Pisa

L’Ostellino:

Um dos lugares mais famosos de Pisa e que possui ótimo custo benefício. Apesar de servir alguns pratos de massa, é um lugar bem pequeno e especializado nos panini, tradicionais sanduíches italianos. Além disso, o local também oferece uma grande variedade de vinhos. É possível ter um lanche gosotoso e generoso por menos de 10 euros.

Il Pizzomane:

Apesar de ser simples e um pouco distante do centro (faz mais sentido ir se você estiver de carro), a pizzaria é uma das melhores de Pisa, possui excelente atendimento e é possível ter uma ótima experiência gastando até 16 euros.

Il Mercante:

Para um jantar um pouco mais sofisticado, o aconchegante restaurante próximo da Igreja di San Michele in Borgo é uma boa opção. Além de deliciosos pratos no menu à la carte, eles também possuem um menu degustação. Assim, é possível experimentar vários sabores típicos toscanos tendo uma experiência única.

Gelaterias:

Das tantas que existem em Pisa, as que se destacaram das vezes em que fui à cidade foram: o Gelato di Toto, localizada no Borgo Stretto, e a La Bottega del Gelato, às margens do Arno.

Baixe o mapa

Gostou das dicas? Baixe o mapa no Google Maps do seu celular para acompanhar as atrações citadas em tempo real durante a viagem:

Salve as nossas dicas no Pinterest!

 

Tags:   

«
»