TOPO

“Moeda da Indonésia: saiba o que e quanto levar para Bali”

A Indonésia é mundialmente conhecida não só pelas suas praias paradisíacas, rica cultura e fascinantes campos de arroz, mas também por ser um destino turístico barato para viajar. A moeda da Indonésia é á rúpia indonésia e, assim como o real, passou por uma grande desvalorização nos últimos anos.

Neste post, você vai entender quanto vale a rúpia indonésia para além da sua cotação. Saiba quais são os principais custos de uma viagem para o principal destino turístico do país, Bali, e qual é a maneira mais econômica de levar o seu dinheiro.

QUAL É A MOEDA DA INDONÉSIA?

Em circulação desde 1946, a rúpia indonésia é moeda oficial da Indonésia e é a única amplamente aceita no país. Ela também aparece com o símbolo Rp ou o código IDR.

As notas possuem muitos zeros, pois são distribuídas nos valores de 1.000, 2.000, 5.000, 10.000, 20.000, 50.000, 75.000 e 100.000. Já as moedas são vistas em montantes de 500 e 1.000 Rp, mas circulam pouco porque praticamente não têm valor comercial.

Pra facilitar a conta, é comum a abreviação dos números com a eliminação dos três últimos zeros. Um prato de 50.000 rúpias indonésias vai constar no cardápio apenas como “50” ou “50K”, por exemplo.

Uma curiosidade é que a palavra “rúpia” deriva de “rupyakam”, palavra sânscrita que significa prata.


Leia também:


Cotação da rúpia indonésia: real x dólar

Para se ter uma ideia da cotação da rúpia indonésia*, veja os comparativos com base no câmbio atual:

 

  • R$ 1 = 2.762 Rp
  • 1 dólar = 14.983 Rp


Como os muitos dígitos geram uma certa confusão, essas são algumas equivalências que vão te ajudar a fazer a conta de cabeça:

  • 10.000 Rp = R$ 3,70
  • 100.000 Rp =  R$ 37
  • 1.000.000 Rp = R$ 370


* A cotação foi conferida na data de publicação deste artigo e segue o câmbio comercial.

COMO LEVAR O SEU DINHEIRO PARA BALI (E QUAL MOEDA LEVAR)

A rúpia indonésia é uma moeda exótica e de baixa circulação fora do país de origem. Por isso, será praticamente impossível encontrá-la em uma Casa de Câmbio do Brasil, por exemplo.

Da mesma forma, você dificilmente conseguirá trocar os seus reais na Indonésia.

Por esse motivo, as principais soluções para levar o seu dinheiro para a sua viagem serão: 

  • Levar uma moeda de grande circulação em espécie para fazer o câmbio ao chegar na Indonésia;

  • Usar o cartão de crédito para pagamentos e saques (método mais caro); e/ou

  • Usar um cartão de débito multimoedas para pagamentos e saques (método mais econômico).

A seguir, falarei mais sobre cada um dos métodos e os pontos positivos e negativos de cada um, além de dar dicas para você operacionalizar as transações.

 

Planejando uma viagem para a Indonésia? Não esqueça de contratar o seguro viagem obrigatório com cobertura para Covid-19! Faça uma cotação com as melhores seguradoras através do nosso link junto à Seguros Promo e use o cupom VIAJAQUEPASSA5 para receber 5% de desconto.

 

Câmbio de moeda em espécie

Casa de Câmbio em Bali

Como vimos, conseguir fazer o câmbio direto de reais para rúpias indonésias, seja no Brasil ou na própria Indonésia, é praticamente impossível.

Por isso, antes de transformar os seus reais na moeda da Indonésia, primeiro você terá que passar por uma moeda de grande circulação. Ela será a sua intermediária.

E, quando falamos de moedas de grande circulação, o dólar é quem se sagra vencedor. Porém, caso você tenha outra moeda forte na carteira, como o euro, também não terá problemas com a troca e não perderá muito nas conversões.

Onde comprar dólares no Brasil

Se você quer sair do Brasil com dólares em espécie, uma boa maneira de fazer isso é usar uma comparadora para cotar as tarifas das casas de câmbio da sua cidade.

A que eu já usei e recomendo é a Melhor Câmbio. O site compara as taxas de conversão e te dá a opção de fazer uma oferta – normalmente até 2 centavos abaixo da menor tarifa.

Como a ferramenta é apenas uma intermediária, vale ficar de olho na nota de avaliação da Corretora – que é mostrada no próprio site.

Casas de Câmbio em Bali

Em Bali, você vai encontrar Casas de Câmbio espalhadas pelas principais zonas turísticas. Esse tipo de lugar sempre tem placas do lado de fora com a cotação do dia (como na foto), então basta uma rápida busca no Google pra saber se o valor está razoável. Ao pedir para trocar o seu dinheiro, sempre verifique se não estão sendo cobradas taxas ocultas.

Outra dica padrão em todo lugar do mundo é: evite trocar muito dinheiro no aeroporto. O câmbio lá é sempre mais alto e vai te deixar no prejuízo, por isso é legal trocar apenas o mínimo necessário (e se necessário).

Vantagens de fazer o câmbio de moeda em espécie:
  • IOF de 1,1%;
  • Transparência nas transações (você sabe exatamente o quanto está gastando).
Desvantagens de fazer câmbio de moeda em espécie:
  • É necessário passar por duas operações, perdendo duas vezes no câmbio até chegar na moeda da Indonésia;
  • Precisa ir até uma Casa de Câmbio no destino para trocar o seu dinheiro;
  • Não é muito seguro andar com grande volume de dinheiro.

Cartão de crédito em Bali

Usando o cartão de crédito em Bali

Definitivamente, o cartão de crédito não é a maneira mais vantajosa para levar o seu dinheiro a Bali. Ainda assim, não é uma opção para ser descartada – afinal, pode ser uma excelente saída para emergências. 

Com o cartão de crédito, haverá a cobrança de 6,38% de IOF sobre as compras (contra 1,1% da moeda em espécie), além de taxas cambiais e bancárias nem sempre muito vantajosas e transparentes.

Por outro lado, é um método seguro e prático. Você pode usá-lo tanto para pagamentos na maquininha quanto para saques (falarei mais sobre o tópico adiante). Não esqueça de habilitá-lo para uso no exterior.

Uso do cartão de crédito na prática

Quanto ao uso do cartão na prática, saiba que as bandeiras Visa e Mastercard são as mais aceitas em Bali. Outros cartões,  como American Express e Dinners Club (parceira da Elo), podem encontrar alguma dificuldade.

Hotéis, restaurantes, lojas e supermercados quase sempre têm maquininha. Contudo, alguns poucos estabelecimentos exigem um limite mínimo para cobrar no cartão. Isso é mais comum nos supermercados, que normalmente pedem um mínimo de 50.000 Rp ou 100.000 Rp.

Alguns estabelecimentos também cobram uma taxa extra pelo método de pagamento, geralmente em torno de 3%. Não é o padrão, mas acontece.

Já para as compras de ambulantes, entradas em algumas atrações turísticas, estacionamentos e barracas de rua, é imprescindível andar com dinheiro em espécie.

Vantagens de usar o cartão de crédito em Bali:
  • É prático, basta habilitar para uso no exterior;
  • É mais seguro, pois permite que você não ande com grandes montantes de dinheiro;
  • O pagamento é feito só na data da faturação;
  • Acumula pontos no programa de fidelidade do cartão (dependendo do cartão, claro);
  • Boa opção de emergência para ter na carteira.
Desvantagens de usar o cartão de crédito em Bali:
  • IOF de 6,38%;
  • Sujeição às variações de câmbio e altas taxas bancárias;
  • Você só sabe o quanto de fato será cobrado no fechamento da fatura;
  • Pouca transparência quanto ao câmbio e taxas aplicáveis;
  • Pode haver cobrança para fazer saques (depende do banco / operadora do cartão e do próprio terminal eletrônico);
  • Alguns estabelecimentos podem cobrar taxas ou impor limite mínimo para usar a maquininha.

Cartão de débito multimoedas Wise (a maneira mais econômica)

Como usar o cartão da Wise em Bali, na Indonésia

Solução relativamente recente, os cartões de débito multimoedas têm ganhado cada vez mais espaço na carteira dos viajantes.

Na prática, esse tipo de cartão funciona como qualquer outro cartão de débito: você pode usá-lo na maquininha ou para saques.

A diferença é que ele é internacional e multimoedas. Assim, você não só pode escolher as moedas que quer manter em saldo, mas também escolher a moeda de pagamento. Tudo isso com taxas mais vantajosas que as dos bancos tradicionais e das casas de câmbio, além de IOF de 1,1 %.

Cartão multimoedas da Wise: a minha indicação na Indonésia 

A minha indicação aqui para comprar a moeda da Indonésia – e o método que eu uso no país – é o cartão da Wise, porque ele é o único cartão do segmento disponível tanto em reais, quanto em rúpias indonésias.

Isso significa que, com o cartão, você pode comprar rúpias indonésias e fazer o pagamento em reais, sem passar por uma terceira moeda (como o dólar).

A operacionalização do cartão também é bem simples, já que tanto o site quando o aplicativo da Wise são bastante intuitivos.

Ao abrir a sua conta, que é gratuita, e fazer o primeiro depósito, você também poderá solicitar o cartão de débito físico sem custo. Porém, caso você ainda não tenha uma conta, recomendo fazer todo o processo pelo menos algumas semanas antes da viagem para garantir que o cartão chegue a tempo.

Atenção à taxa de saque

Como eu falei, esse tipo de cartão pode ser usado tanto para compras na maquininha quanto para saques. E já vimos que é importante ter algum dinheiro em espécie na Indonésia.

Acontece que saques no exterior costumam ter taxas – e não é diferente com o cartão da Wise. Mas vou te contar qual é o pulo de gato para economizar:

Esse cartão permite até 2 saques gratuitos por mês desde que o valor não ultrapasse o equivalente a R$1.400. Depois disso, é cobrado R$ 6,50 por transação, mais 1,75% sobre os valores excedentes.

Para economizar, saque até R$ 1.400 em rúpias indonésias (aproximadamente 3,8 milhões, mas veja a cotação do dia) para usar nos pagamentos em que o dinheiro é imprescindível. Para todas as despesas remanescentes e que podem ser pagas na maquininha sem cobrança de taxas, faça o pagamento com o cartão.

Vantagens de usar o cartão Wise em Bali:
  • IOF de 1,1 %;
  • Método prático e seguro;
  • Taxas mais baratas que as dos bancos e casas de câmbio;
  • Transparência quanto aos valores cobrados;
  • Permite a conversão de reais para rúpias indonésias sem passar por uma moeda intermediária;
  • Permite que você carregue o dinheiro aos poucos, antes ou durante a viagem (aproveitando, inclusive, as baixas de câmbio).
Desvantagens de usar o cartão Wise em Bali:
  • Permite fazer apenas 2 saques gratuitos por mês, no valor total equivalente a R$ 1.400. Acima disso, há cobrança de taxas;
  • Alguns estabelecimentos podem cobrar taxas ou impor limite mínimo para usar a maquininha do cartão;
  • Caso você ainda não tenha conta na Wise, é preciso se programar algumas semanas antes da viagem para receber o cartão a tempo.

Sacando dinheiro em Bali

Caixas eletrônicos em Bali, na Indonésia

Caixas de bancos locais, como os da foto, têm mais chances de não cobrar taxa de saque

Para sacar dinheiro em Bali, seja com o seu cartão de crédito ou o cartão multimoedas Wise, basta ir em qualquer caixa ATM. Os caixas sempre têm uma versão em inglês, o que facilita o processo.

Acima, já falamos sobre as taxas de saque do cartão Wise.

No caso dos cartões de crédito, as taxas são instituídas por cada banco ou operadora do cartão. Por isso, é legal checar com a instituição emitente antes da operação. Muitas vezes, essa informação consta no respectivo site ou App.

Também não se esqueça que, no caso do cartão de crédito, será cobrado IOF de 6,38%, além das taxas cambiais e bancárias (que também são instituídas por cada cartão). 

Mas, independentemente do cartão utilizado, o próprio terminal eletrônico também pode cobrar uma taxa de saque. Já testei alguns terminais em Bali e, pela minha experiência, os de bancos locais não costumam cobrar taxas, enquanto que os mais genéricos (ao estilo do nosso “Banco 24h’) sempre cobram.

Antes de finalizar a operação você poderá ver um extrato do que está sendo cobrado, então é legal prestar atenção antes de confirmar a transação.

Por conta das tarifas (que geralmente são fixas e cobradas por operação), recomendo fazer o menor número de saques possível.

Quanto vou gastar na minha viagem para Bali?

De um modo geral, a Indonésia é um país bastante econômico. Mesmo em Bali, cuja economia depende majoritariamente do turismo, as coisas são acessíveis para os brasileiros.

Ainda assim, o custo de uma viagem depende muito do perfil de cada viajante: dá pra gastar bem pouco, mas o céu é o limite pra quem busca luxo.

Para se ter uma ideia dos custos, vamos falar um pouco sobre a média de valores nos segmentos que mais impactam no orçamento da viagem: hospedagem, alimentação, locomoção, traslado de barco (se for o caso) e atrações turísticas. Confira abaixo:


Hospedagem

A hospedagem é certamente o item mais variável – depende muito da localização, conforto, serviços oferecidos e época do ano.

Considerando as áreas preferidas pelos turistas em Bali, é possível encontrar opções com boa localização nas seguintes faixas de preço*:

  • Cama em Hostel bem avaliado (quarto compartilhado): por volta de 100.000 Rp
  • Quarto em pousada familiar para 2 pessoas: a partir de 150.000 Rp
  • Quarto em Hotel padrão 4 estrelas para 2 pessoas: a partir de 600.000 Rp
  • Acomodação de luxo para 2 pessoas: a partir de 800.000 Rp

Confira as melhores opções de hospedagem em Bali.

* valores referentes à média temporada.


Alimentação

Para se ter uma ideia dos custos com alimentação, você pode levar em conta o valor médio dos itens nos restaurantes das áreas onde turistas costumam se hospedar (como Ubud, Canggu e Uluwatu, por exemplo):

  • Refeição em buffet indonésio econômico (“Warung”)  30.000 Rp
  • Prato em restaurante ocidental padrão 70.000 Rp
  • Prato em restaurante sofisticado: a partir de 80.000 Rp
  • Cappuccino 30.000 Rp
  • Refrigerante lata 20.000 Rp
  • Garrafa de água mineral  18.000 Rp
  • Cerveja local long neck  40.000 Rp

Claro que é possível encontrar valores mais altos em restaurantes com muito apelo turístico ou muito mais baratos em zonas frequentadas por locais. Mas, de um modo geral, é possível comer muito bem com menos de R$ 50 (sem bebida alcoólica).

Também é importante saber que, na maioria dos restaurantes, os impostos e taxa de serviço são cobrados à parte ao final da conta. O valor costuma ser de 10% para os impostos e de 4% a 6% para o serviço.


Locomoção

Bali não é um lugar para ser percorrido a pé. As atrações são distantes e em muitos lugares sequer existem calçadas.

Transporte público também não é uma opção. Por isso, incluir o gasto com locomoção na sua viagem é essencial. 

Para você entender o quanto vai gastar, aqui vai uma média dos gastos com os principais meio de locomoção:

  • Aluguel de scooter pequena (ex: Honda Scoopy e Honda Vario) ≅ 70.000 Rp / dia
  • Aluguel de scooter grande (ex: Yamaha Nmax) ≅ 110.000 Rp / dia
  • Aluguel de carro econômico ≅ 600.000 Rp / dia
  • Diária de guia/motorista com carro ≅ 500.000 Rp / 8h (recomendo esta empresa)

Caso você opte por não alugar um veículo próprio, também pode contar com os aplicativos de transporte locais, Grab e Gojek. Ambos os Apps oferecem caronas de carro ou moto e são vantajosos para curtas distâncias (como ir do hotel a um restaurante, por exemplo). Os preços variam, mas considere a média de 35.000 Rp por uma corrida de carro dentro da mesma cidade.


Transfer de barco

Caso visitar as ilhas vizinhas de Bali (como as espetaculares Nusa Penida e Gili Islands) também esteja nos seus planos, você precisará incluir na conta os traslados de barco.

Cotando direto no site da 12Go, que é a plataforma mais popular para reserva de traslados em todo o Sudeste Asiático, os preços médios por trecho (variam de acordo com a empresa) são os seguintes:

  • Bali → Nusa Penida ≅ 145.000 Rp
  • Bali → Gili Trawangan ≅ 350.000 Rp


Atrações

Muitas das atrações de Bali – e inclua na conta as atrações naturais, como praias e cachoeiras – são controladas pelas comunidades locais. Em casos como esse, é comum que sejam cobradas taxas simbólicas de entrada ou estacionamento – a maioria não passa de 15.000 Rp.

Grandes templos, como o de Uluwatu, Tanah Lot e Lempuyang, costumam cobrar um pouco mais. Nesses casos, os ingressos costumam ficar entre 50.000Rp e 100.000 Rp.

Caso você também queira ter outros tipos de experiências, como fazer um passeio de barco, ter uma aula de surf ou fazer uma uma aula de culinária, por exemplo, também é possível. Neste caso, os preços variam muito de agência para agência.

Aqui você pode conferir os valores de algumas experiências:

 

O QUE, COMO E QUANTO LEVAR PARA BALI?

Agora que você tem uma ideia dos principais custos de uma viagem para Bali, basta adaptar ao seu perfil para entender o quanto você gastará na viagem.

Com hotéis reservados e um planejamento dos passeios que serão feitos, fica mais fácil entender o quanto você gastará por dia de viagem. Aos demais custos, some uma reserva para compras (se for o caso) e eventuais imprevistos.

Quanto à moeda da Indonésia, já vimos que a estratégia mais econômica é usar o cartão da Wise. Mesmo assim, você pode optar por levar dólares em espécie caso prefira.

Quanto ao cartão de crédito, embora seja o método mais caro também é uma excelente opção de emergência. Mesmo que você escolha não usá-lo, vale a pena contar com ele na carteira.

«
»