TOPO

“Passo a passo: como emitir o Certificado Internacional de Vacinação”

Para garantir que uma viagem transcorra da melhor forma, é importante dar atenção a certos detalhes antes mesmo do embarque. Entre eles, a organização da documentação necessária para ingressar em outro país. Tirar passaporte e visto, por exemplo, são etapas muitas vezes obrigatórias. Assim como emitir o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP).

África do Sul, Austrália e Colômbia estão entre os destinos que exigem o comprovante vacinal. Mas o que é o certificado de fato e como tirá-lo?

Neste artigo, vamos responder as principais dúvidas sobre o assunto e explicar o passo a passo para emissão do documento. Um spoiler: atualmente o processo é bem simples e pode ser todo feito pela internet. Confira!

O que é o Certificado Internacional de Vacinação?

O Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) é um comprovante emitido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA – e aceito internacionalmente. Ele é utilizado para atestar a vacinação do cidadão contra determinadas doenças, principalmente a febre amarela. Ou seja, é o registro que permite a entrada do visitante em territórios onde tal imunização é requerida.

Além de gratuito, o certificado tem a vantagem de ser vitalício no caso de proteção contra a febre. Uma vez tirado, não é preciso se preocupar com o prazo de validade.

Países que exigem o Certificado Internacional de Vacinação contra febre amarela

Como comentamos anteriormente, África do Sul, Austrália e Colômbia são apenas alguns dos países que pedem a certificação da vacina contra a febre amarela. Porém, a lista completa reúne mais de cem países e territórios.

Na tabela abaixo você pode checar quais são os lugares que adotam a exigência e se o seu destino está entre eles:

África do Sul

Gabão

Nova Caledônia

Albânia

Gâmbia Níger

Angola

Gana Omã

Austrália

Guadalupe Panamá

Granada

Guatemala Papua Nova Guiné

Antígua e Barbuda

Guiana Paquistão

Argélia

Guiana Francesa Paraguai

Aruba

Guiné Polinésia Francesa

Arábia Saudita

Guiné Equatorial

Quênia

Bahamas

Guiné-Bissau República Central Africana

Bahrein

Haiti

República Democrática do Congo

Bangladesh

Honduras República Dominicana

Barbados

Ilha Christmas (Ilha do Natal) Ruanda

Belize

Ilha de São Martinho Samoa

Benin

Ilhas Fiji Santa Helena

Bolívia

Ilhas Pitcairn Santa Lúcia

Bonaire

Ilhas Salomão Santo Eustáquio

Botsuana

Índia Senegal

Brunei

Indonésia Serra Leoa

Burkina Faso

Iraque Seychelles

Burundi

Irã Singapura

Cabo Verde

Jamaica Somália

Camarões

Jordânia Sri Lanka

Camboja

Libéria Suazilândia (eSwatini)

Cazaquistão

Líbia Sudão

Chade

Madagascar Sudão do Sul

China

Malawi Suriname

Colômbia

Maldivas São Bartolomeu

Congo

Mali

São Cristóvão e Névis

Coreia do Norte

Malta São Martinho

Costa Rica

Malásia

São Tomé e Príncipe

Costa do Marfim

Martinica São Vicente e Granadinas

Cuba

Mauritânia Tailândia

Curaçao

Mayotte Tanzânia

Dominica

Mianmar Togo

Egito

Montserrat Trindade e Tobago

El Salvador

Moçambique Uganda

Emirados Árabes Unidos

Namíbia

Venezuela

Equador

Nepal Wallis e Futuna

Eritreia

Nicarágua Zimbábue

Etiópia

Nigéria

Zâmbia

Filipinas

Niue  

Vale lembrar que a obrigatoriedade permanece mesmo que sua passagem pelo destino seja apenas em conexão de voo.

Preciso tirar o Certificado Internacional de Vacinação para comprovação de vacinação contra a COVID-19?

Desde o início da flexibilização das medidas contra o Covid-19, essa tem sido uma dúvida comum.

Algumas fronteiras estão sendo novamente abertas para o turismo, liberando o ingresso de brasileiros vacinados. Mas é preciso estar atento ao tipo de comprovação solicitada.

No caso da COVID-19, ainda não há nenhuma determinação oficial para o uso do Certificado Internacional de Vacinação.

Para efeito de prova durante as viagens internacionais, o documento aceito é o Certificado Nacional de Vacinação COVID-19. Inclusive, no próprio aplicativo “Conecte SUS” é possível gerar o certificado em inglês ou espanhol. 

É importante destacar que cada país tem suas regras a respeito da liberação de entrada e que elas estão mudando frequentemente. Por isso, não deixe de acompanhar informações atualizadas junto às embaixadas ou consulados.

Onde tomar a vacina contra a febre amarela?

Se o objetivo é ter o Certificado Internacional de Vacinação para confirmar proteção contra febre amarela, o primeiro passo, claro, é tomar a vacina.

Você pode fazer isso em uma unidade básica de saúde do SUS, gratuitamente. Basta levar seu documento de identidade e, se tiver, o cartão de vacinação. Caso não tenha, um novo é emitido lá na hora.

Também é possível se imunizar na rede privada, em clínicas conveniadas.

Está com viagem marcada? Então é preciso prestar atenção às datas. A aplicação deve ser feita com, no mínimo, 10 dias de antecedência.

Já sou vacinado contra a febre amarela. Preciso tomar outra dose?

Não. A partir dos nove meses de idade, quem já se vacinou contra a febre amarela não precisa tomar outra dose. Ela dura por toda a vida.

Pessoas que podem ter se vacinado há muitos anos, mas não lembram se isso aconteceu, devem procurar o posto onde imagina ter sido imunizado. Lá provavelmente estará registrado o acontecimento, caso tenha ocorrido. Na impossibilidade de fazer isso, é permitida uma nova aplicação.

Como emitir o Certificado Internacional de Vacinação?

Depois da vacina tomada, o processo de tirar o comprovante envolve 3 etapas: se cadastrar no gov.br, solicitar o certificado e, por fim, recebê-lo.

Descubra como emitir o Certificado Internacional de Vacinação no passo a passo abaixo:

Etapa 1 – Cadastro no gov.br

Como se cadastrar no gov.br

  • Antes de solicitar seu certificado, você precisa ter uma conta no site do Governo Federal. Se já tiver, basta entrar com seu CPF e senha cadastrada.
  • Se não tem, acesse o site gov.br e crie uma conta.
  • Na tela inicial, vá em “entrar”, digite o número do CPF ali ao lado direito, e clique em “continuar”. Siga, então, preenchendo os outros campos solicitados.
  • Um código de verificação será enviando para o seu e-mail ou celular. Anote-o e copie no local indicado da página.
  • Após a validação, o sistema vai pedir para que crie uma senha.
  • Prontinho, depois disso seu cadastro está concluído.

Etapa 2 – Solicitação do certificado

Como solicitar o Certificado Internacional de Vacinação

  • Já logado no site do governo, acesse a página do Certificado Internacional de Vacinação.
    Logo você verá um botão verde, à direita, onde está escrito “iniciar”. Clique nele.
  • No formulário aberto, confirme os dados que estão sendo exibidos e vá até “prosseguir”.
  • Selecione seu estado e cidade de residência, continuando no “avançar”.
  • No próximo passo, é hora de incluir os dados sobre lote e data da vacina. Essas informações estão registradas no seu cartão de vacinação.
  • Por fim, anexe as imagens do cartão na área indicada e clique em “enviar solicitação”. Essas imagens precisam conter, de forma legível, seus dados pessoais; lote e data da vacina; assinatura do profissional que realizou a aplicação; e identificação/carimbo da unidade de saúde. Na falta de algum item, dirija-se até o local onde foi vacinado e solicite uma segunda via.

Etapa 3 – Emissão do certificado

Como emitir o Certificado Internacional de Vacinação

  • Após a solicitação, você receberá o certificado por e-mail em até 10 dias úteis.
  • Pode, também, encontrá-lo no portal do governo. Acesse normalmente sua conta pelo gov.br, vá até “minhas solicitações”, depois em “concluídas”, e clique em “ver”.
  • Imprima o documento e assine no local indicado.
  • É permitido reimprimir o comprovante sempre que precisar.

Entender como emitir o Certificado Internacional de Vacinação torna o percurso mais tranquilo.

Com ele em mãos, você respeita as diretrizes do país que escolheu visitar e tem a proteção proporcionada pela vacina.

Tags:  

«
»