TOPO

“Canoa Quebrada: o que fazer, onde se hospedar e dicas”

Reza a lenda que existe uma aura mística em Canoa Quebrada. Se é verdade, eu não sei. Mas foi só colocar meus pés lá para ouvir pelo menos meia dúzia de teorias sobre o porquê do vilarejo ter essa fama. Sabe o desenho da meia-lua e da estrela, que virou marca registrada da praia? Até ele foi parar no meio da história. Pergunte para os moradores locais o que ele significa e você vai ouvir várias versões diferentes. Pelo menos uma delas vai ter a ver com essa vibe holística.

Conhecendo o passado da região, dá para ter uma ideia de onde vem essa crença. Até os anos 70, Canoa Quebrada era um vilarejo de pescadores difícil de acessar. Até que chegaram os primeiros aventureiros, que gostaram do que viram e decidiram ficar. Isso chamou a atenção e começou a atrair hippies do mundo inteiro. Era o que faltava para ser eleito como o paraíso recém-descoberto da vez.

Definitivamente, Canoa já não é mais a mesma de 30 ou 40 anos atrás. Assim como aconteceu com Trancoso, em menos de duas décadas ela passou de refúgio alternativo a um dos destinos favoritos dos grupos de excursão. Aos poucos os hippies foram procurando outros paraísos isolados, as vielas de areia desaparecendo… A verdade é que o vilarejo “se modernizou” tanto que sua rua principal até ganhou um nome em inglês. Quem agora vê a Broadway cheia de lojinhas e restaurantes mal consegue imaginar como ela era diferente até pouco tempo atrás.

Hoje, muita gente só conhece Canoa por causa dos passeios bate-volta que saem de Fortaleza. Por mais que já não tenha o mesmo charme dos anos 70, o vilarejo merece uma estada com mais calma. Se acha que só a paisagem não é suficiente para te convencer disso, dou pelo menos um outro bom motivo para você começar a planejar sua viagem. Anota aí: a estada por lá é (muito) mais barata que a maioria das praias famosinhas do Nordeste – e, de quebra, você conhece um dos trechos de falésias mais bonitos do Brasil.

Neste post, dou dicas para te ajudar a organizar a viagem para Canoa Quebrada e conto tudo que você não pode deixar de fazer quando estiver por lá.

CLIMA EM CANOA QUEBRADA: QUANDO IR

Canoa Quebrada

Foto: Getty Images

Não existe tempo ruim em Canoa Quebrada. Dá para viajar para lá o ano inteiro, sem muitas preocupações. O sol e o vento cearense são implacáveis em boa parte dos 365 dias do ano. Pode ser que no primeiro semestre você pegue um pouquinho de chuva, mas nada que estrague a viagem.

De fevereiro a junho, o Ceará costuma ter seu período mais chuvoso. Isso não significa que necessariamente vai chover todos os dias e nem que as chuvas serão torrenciais. A temperatura cai um pouquinho – se é que podemos dizer assim, já que fica acima dos 23ºC quase sempre;

De julho a janeiro, o vilarejo tem tempo firme. As temperaturas estão lá em cima e o vento também dá as caras. É garantia de brisa fresca todos os dias.

Assim como vale para toda praia no Nordeste, se puder, é bom evitar Canoa Quebrada nos meses de férias e feriadões. Tudo fica mais cheio e os preços obviamente sobem.

Fora da alta temporada, bons meses são setembro e outubro. Os termômetros estão acima dos 25ºC e você vai ter 100% de aproveitamento – sem contar que ainda não pega os preços reajustados da próxima temporada, que começa em meados de novembro.

COMO CHEGAR E SE LOCOMOVER EM CANOA QUEBRADA

Canoa Quebrada está na parte Leste do litoral cearense. O aeroporto mais próximo é o de Fortaleza (FOR), que fica a mais ou menos a 160 km. Para quem vem de outros estados, o jeito mais fácil é ir de avião até a capital e depois seguir até o vilarejo de carro.

Saindo do aeroporto, é só pegar a CE-040. O caminho passa pelo Beach Park, em Aquiraz, e pelas praias de Beberibe. Num geral, a pista é boa e duplicada em grande parte do trajeto. Calcule cerca de duas horas e meia para chegar.

Para quem preferir, há ônibus que fazem a rota. A viação São Benedito (https://www.facebook.com/sbautovia/) tem saídas em vários horários do dia. Mas os motoristas vão parando no meio do caminho e a viagem pode demorar muito mais do que o esperado. Operadoras de turismo de Fortaleza também prestam serviço de transfer. Como quase todos os dias há passeios para Canoa, é fácil encontrar vans saindo da capital. Ainda assim, meu conselho é pedir referências para o pessoal da pousada e deixar tudo reservado com antecedência, para não ter dor de cabeça.

A não ser que se hospede em uma pousada mais afastada, não vai precisar de carro para ficar se deslocando no vilarejo. Dá para fazer quase tudo a pé e os passeios são feitos nos veículos das agências. Só vale a pena ter um carro à disposição se não quiser gastar com transfer ou preferir ter a liberdade de conhecer outras praias da região por conta própria.

Ah, vale lembrar que algumas pousadas são pequenininhas e não tem estacionamento. As ruas são estreitas e nem sempre há lugar para parar. Antes de fechar a reserva, confirme essa informação.

QUANTO TEMPO FICAR EM CANOA QUEBRADA

Se você se planejar direitinho, em dois dias inteiros consegue riscar todos os passeios clássicos de Canoa Quebrada da lista. O vilarejo é pequeno e não tem uma oferta de atrativos tão vasta assim. Em um fim de semana ou feriado prolongado já dá para fazer um geralzão e sentir a vibe do lugar. Para curtir com mais calma, recomendaria ficar por lá pelo menos 4 dias.

As agências de Fortaleza costumam vender um bate-volta que elas chamam de “Passeio das 3 Praias”. Realmente, para quem tem pouco tempo na região, é tentador: você paga um preço fechado e em um só dia conhece Morro Branco, Praia das Fontes e Canoa Quebrada. Só que ninguém te conta que a viagem é cansativa e que você quase não vai ter tempo de dar um mergulho no mar. Canoa Quebrada é a última praia do roteiro. Quando você chega lá, já está farto da viagem (são pelo menos 2 horas para ir e mais 2 para voltar) e frustrado por não conseguir aproveitar o visual como gostaria.

Por experiência própria, não vale a pena. Já fiz esse passeio bate-volta e me arrependi muito. É corrido, cansativo e você mal consegue dar uma voltinha pela cidade. A programação se resume a ir na falésia com o logotipo, almoçar e só. Deixa muito a desejar e não entrega nem 10% do que Canoa Quebrada tem para oferecer. É só um aperitivo, você volta para casa com gostinho de quero mais.

Se você se hospedar em Canoa Quebrada e quiser esticar a viagem até Fortaleza ou outras praias do Litoral Leste, considere reservar pelo menos mais 3 dias na agenda. É o suficiente para ir até Morro Branco e Fortim, por exemplo. Quer conhecer o Beach Park? Reserve outro dia inteiro só para isso.

ONDE SE HOSPEDAR EM CANOA QUEBRADA

Em comparação com outras praias famosinhas do Ceará, Canoa Quebrada tem acomodações mais em conta. Num geral, também são mais simples – é verdade –, mas entregam o que turista precisa para uma estada minimamente confortável.

Se puder, prefira as pousadas que ficam no meio do caminho entre a Broadway e a praia (principalmente se estiver sem carro). É uma mão na roda: você está relativamente perto da areia e a poucos minutos de caminhada do burburinho e dos restaurantes para o jantar.

Para ajudar na sua escolha, aqui vão 3 sugestões de hospedagem:

Ravenala 

Tem jeitinho de hotel boutique, com decoração discreta e de muito bom gosto. Todas instalações são novas e confortáveis. Está um pouco acima do padrão normalmente encontrado em Canoa e, por isso mesmo, cobra um pouco mais caro.

Tranquilandia Village

Não vá esperando grandes luxos. A pousada é simples, mas ajeitadinha e com um staff super simpático. Alguns quartos têm varanda e vista do mar. Destaque para o estacionamento (fundamental em Canoa), o café da manhã caprichado e a piscina grande. A localização é maior ponto positivo: dá para ir a pé para praia e para o centrinho.

La Dolce Vita

Tem estrutura aconchegante, sem frescuras. Como o clima por lá é de sossego e tranquilidade, atende bem quem viaja em família ou em casal. No café da manhã, espere tapiocas de todos os tipos, preparadas na hora.

O QUE FAZER EM CANOA QUEBRADA 

O vilarejo de Canoa é pequeno e, por isso mesmo, tem um cardápio enxuto de passeios e atrativos. Para quem gosta de descansar, é o cenário perfeito: você não se sente obrigado a preencher todas as horas do dia com atividades e mais atividades. Planejando bem, dá para fazer uma mescla interessante entre um ou outro passeio por dia e horas relaxando à beira-mar. Se sobrar tempo, vale uma esticadinha em outros pontos da Rota das Falésias. A Praia de Morro Branco é imperdível.

Para se planejar melhor, confira aqui as principais atrações:

Praia de Canoa Quebrada

Praia Canoa Quebrada

Foto: MTur Destinos via Flickr

Canoa já teve seus dias mais charmosos, mas ainda faz bonito. Apesar da fama, a praia não é das mais paradisíacas que você vai encontrar na vida. As falésias são a grande estrela e dão todo um toque especial à paisagem. Mesmo assim, não vá esperando ver um marzão calminho e transparente.

Confesso que fiquei um pouco frustrada da primeira vez em que estive lá. Criei muita expectativa e não imaginava encontrar tantos grupos de excursão e nem tantas caixinhas de som tocando música alta. Apesar de tudo, isso não atrapalhou o ritmo da minha viagem. Também não acho que seja um motivo forte o suficiente para fazer com que alguém desista de viajar para lá. É apenas um detalhe, mas que acho importante avisar, para que você não encontre surpresas e nem seja pego desprevenido como eu.

Duna do Pôr do Sol

Assim como Jeri, o vilarejo de Canoa Quebrada também tem uma Duna do Pôr do Sol para chamar de sua. A maioria das pessoas chega lá de buggy, mas com algum esforcinho também dá para ir a pé. Peça informação sobre como chegar lá. A fama é grande e o visual é bonito, mas não acho que esteja na lista de obrigatórios.

Parapente

Parapente

Foto: Getty Images

Arrisco dizer que a vista mais bonita de Canoa seja do alto. Para isso, algumas agências oferecem passeios de parapente, para quem quer sobrevoar as falésias. É comum caminhar ou andar de buggy na praia e ver vários pontinhos coloridos sobrevoando a região. Não consegui experimentar, mas confesso que fiquei morrendo de vontade.

Passeio de jangada

Jangada Canoa Quebrada

Foto: MTur Destinos via Flickr

Ao longo de toda a Praia de Canoa Quebrada, você encontra jangadeiros oferecendo passeios. No canto esquerdo, perto das barracas, é onde eles ficam mais concentrados. Para quem tem vontade e nunca deu uma voltinha, vale a experiência. Se não é muito sua praia, não sei se precisa perder tempo com isso. Tirar fotos das jangadas na areia já é suficiente.

Como é de se esperar no Ceará, o vento é implacável, às vezes o mar fica mais mexido e o passeio ganha um quê de emoção. Vá preparado para se molhar e balançar bastante.

Broadway

É o endereço mais famoso e badalado de Canoa, onde a maioria dos turistas vai para dar uma voltinha à noite. Tem um calçadão simpático, com algumas opções de lojinhas e bons restaurantes. Nos mapas oficiais, procure por Avenida Dragão do Mar.

Passeio de buggy

Passeio de Buggy

Foto: MTur Destinos via Flickr

É a marca registrada do Ceará. Ir a Canoa Quebrada e não dar pelo menos uma voltinha de buggy é quase um sacrilégio.

Chegando na vila, feche o passeio com o pessoal da pousada, nas barracas ou com os bugueiros que ficam estacionados perto da Broadway. Existem várias opções, de todos os preços e com rotas de diferentes durações. Os mais simples, digamos assim, levam para um voltinha nas dunas, com parada para esquibunda e tirolesa. Mas a melhor rota, na minha opinião, é a que sai de Canoa e vai até Ponta Grossa, beirando o mar. No caminho, você até perde as contas de quantas cores diferentes encontra nas falésias.

Se puder, prefira fazer os passeios em grupos de pelo menos 4 pessoas. Os bugueiros costumam cobrar preços fechados e, se tiver com quem dividir, fica mais em conta.

Barracas de praia

Foto: MTur Destinos via Flickr

Se quiser uma estrutura de clube à beira-mar, vá direto para o canto esquerdo da praia. É lá que ficam as barracas mais completas e com mais infraestrutura. Elas não são tão pomposas como as da Praia do Futuro, em Fortaleza, mas o estilão é o mesmo. Tem piscina, restaurante, espreguiçadeiras, música ao vivo… Tudo em uma escala reduzida em relação às barracas da capital, obviamente.

Para quem curte esse tipo de programa, dá para passar o dia todo, sem problemas. A Chega Mais e a Antônio Coco são as mais famosinhas.

Tags:   

«
»