TOPO

“Roteiro em Holambra: o que fazer na capital das flores”

Organizar um roteiro em Holambra não é tarefa difícil. Pequena e bucólica, a cidade concentra seus atrativos bem próximos uns dos outros. Passear por ali significa encontrar cantinhos bonitos a todo instante e imergir em uma interessante mistura cultural.

A Cidade das Flores é conhecida por duas de suas características mais marcantes: o fato de ser responsável por quase metade da produção de flores do país e por seus ares holandeses (devido à forte influência imigratória na região). A combinação resulta em pontos turísticos cheios de cores, construções pitorescas e boa culinária.

Para aproveitar os encantos da cidade, um final de semana pode ser perfeito. O tempo é suficiente para conhecer tudo e garante um ritmo tranquilo.

Neste artigo, reunimos as principais informações sobre o destino e sugerimos um roteiro com muitas das belezas do lugar. Vamos conhecê-lo?

ONDE FICA HOLAMBRA

Holambra está localizada no interior de São Paulo, perto de Campinas. A distância entre as duas cidades é de cerca de 40 km. Isso faz com que o aeroporto e rodoviária campinense sejam os principais meios de acesso para quem chega de avião ou ônibus.

Outros municípios próximos são Mogi Mirim, Jaguariúna e Paulínia.

Veja onde fica Holambra no mapa:

Como chegar

O primeiro passo na organização do roteiro em Holambra é definir como chegar.

Quem pretende visitar Holambra de carro, partindo da capital paulista, segue através da Rodovia dos Bandeirantes até Campinas. Em seguida, entra na Rodovia SP-340, sentido Mogi Mirim. O caminho tem pedágios e dura em torno de 2 horas.

Turistas de outros estados podem chegar pelo Terminal Rodoviário de Campinas ou pelo Aeroporto de Viracopos.

Como chegar e se locomover em Holambra

Foto: Getty Images

Chegando pelo Terminal Rodoviário:

A partir da descida na rodoviária, é possível pegar um ônibus: linha 693 – Campinas a Artur Nogueira, via Holambra. O transporte é metropolitano e o ponto mais próximo é na Rua Dr. Ricardo. A viagem dura cerca de 1 hora e custa R$ 12,30. 

Uma segunda alternativa é pedir um uber para completar o trecho de Campinas ao seu destino. Quando visitei a cidade, essa foi minha escolha e, mesmo chegando à noite, foi fácil encontrar motorista. Mas é importante lembrar que o aplicativo não funciona em Holambra, então o itinerário da volta precisa ser planejado com mais cuidado. Se for possível, tente já deixar combinado o retorno.

De acordo com a estimativa do site da Uber, o valor atual do trajeto está na média de R$ 74,00 a R$ 96,00.

Chegando pelo Aeroporto de Viracopos:

Chegando pelo Viracopos, também dá para seguir viagem de uber. Os preços variam de R$ 99 a R$ 130,00 e o percurso dura aproximadamente 40 minutos.

Uma outra opção é alugar um carro. Além de oferecer autonomia, você não se preocupa com o trajeto de retorno até o aeroporto. O site da nossa parceira Rent Cars permite que cote valores e avalie as possibilidades de locadoras.

Como se locomover

A Cidade das Flores consegue proporcionar comodidade tanto para quem está motorizado quanto para quem não está.

A maior parte de seus atrativos e o polo gastronômico fica concentrada no centro, a curtas caminhadas. Já as atividades mais distantes, como ida aos campos de flores, são feitas por tour, em transportes próprios das agências.

A única coisa que interfere no uso ou não do carro é o local da hospedagem. Se a ideia é fazer tudo a pé, não deixe de escolher uma acomodação próxima do centro.

QUANDO IR: MELHOR ÉPOCA PARA VISITAR HOLAMBRA

Holambra pode ser curtida em qualquer época. O clima do lugar permanece agradável o ano inteiro e tem estações bem definidas.

É em setembro, no entanto, que a cidade bomba. Isso porque é quando ocorre a Expoflora, evento considerado a maior festa de flores da América Latina. A exposição acontece durante os fins de semana do mês e conta com muita dança, pratos típicos holandeses e artesanato.


Atenção: a 39ª edição da Expoflora, que aconteceria em 2021, foi adiada para 2022 em virtude da pandemia de COVID-19. Mais informações no site oficial do evento.


Ir nos meses de junho, julho e agosto também têm um ponto super positivo. Neles, os campos de girassóis estão no ápice da beleza.

ONDE FICAR EM HOLAMBRA: DICAS DE POUSADAS E HOTÉIS

Por ser uma cidade pequena, Holambra não possui número elevado de hospedagens. Mas isso não quer dizer que você não estará muito bem acomodado em algum dos hotéis e pousadas da região.

A única dica é que, justamente pela questão da quantidade, a reserva seja feita com certa antecedência.

Em termos de localização, há ofertas pelo centro, arredores e, ainda, em municípios limítrofes. Cada um dos pontos traz suas próprias características e vantagens. Veja qual funciona melhor para a sua viagem:

No centro de Holambra

Sem dúvidas, a estadia no centro é a mais recomendada e prática. Ficando por ali, não tem erro. Você estará perto dos pontos turísticos, de agências, lojas, restaurantes, e conseguirá fazer tudo a pé. Principalmente para quem está indo sem carro, é ótima pedida.

Conheça algumas sugestões de pousadas na parte central de Holambra:

Econômico

Preço em conta e bom atendimento tornam o Hotel Villa de Holanda convidativo. Suas reservas englobam café da manhã e o hóspede pode usufruir de almoço continental, caso deseje mais essa comodidade.

Bom custo-benefício

Bem na Rota dos Imigrantes, principal rua da cidade, está o Holambra Garden Hotel. Além dos quartos bem avaliados, o espaço inclui jardim, terraço e cozinha compartilhada.

O Shellter Hotel está a 200 metros do centro. Aconchegante, tem quartos com varanda térrea e ambiente externo com redes. Um ponto alto destacado pelos hóspedes é a cordialidade dos funcionários.

Luxo

A Amsterdam Suítes não é exatamente luxuosa, mas é dona de estrutura caprichada. Perfeitas para quem gosta de espaço, suas suítes têm camas grandes e cozinhas. Um plus são as dependências novinhas, muito elogiadas pelo fator limpeza.

A boa experiência no Hotel 1948 é quase unanimidade entre os que passam por ele. Como diferencial, disponibiliza bicicletas para os hóspedes (gratuitamente).

Nos arredores da cidade

As acomodações que ficam no entorno do centro, nas estradas de acesso, guardam um aspecto em comum: foco no conforto. Em geral, são hospedagens no estilo hotel-fazenda, com serviços que permitem lazer e descanso.

Elas são indicadas para quem está de carro e busca dias mais voltados para o relaxamento. Dê uma olhada em algumas:

Econômico

A Pousada Chácara Vivalli cumpre bem o papel de oferecer uma opção de hospedagem relativamente econômica. Seu café da manhã é variado, os quartos têm vista para a piscina e a receptividade dos proprietários é sempre apontada pelos visitantes.

Bom custo-benefício

O Villa de Holanda Parque Hotel tem restaurante, piscina, parquinho para as crianças e jardim espaçoso. Café da manhã e serviço de quarto também fazem parte das facilidades.

A 3 km do centro, o Rancho da Cachaça chama atenção pelo ambiente agradável. A propriedade possui muito espaço ao ar livre e um terraço com vista incrível.

Nos municípios próximos

Decidir ficar fora da cidade pode parecer estranho à primeira vista. Mas, acredite, os municípios vizinhos são uma baita ajuda em época de grande movimento, como durante a Expoflora.

Se as vagas já estiverem esgotadas em Holambra, experimente explorar estadias em Jaguariúna, a menos de 20 minutos de distância. Paulínia e Campinas, apesar de um pouco mais afastadas, também são interessantes.

Veja as nossas sugestões:

Econômico

Considerado fabuloso pelos avaliadores, o Hotel Stelati fica a 8,6 km de Holambra. Seu estacionamento gratuito facilita a vida dos hóspedes, assim como as instalações organizadas.

Bom custo-benefício

A menos de 10 km de Holambra, em Jaguariúna, está o Hotel Residence Jaguary. Amplo, investe em piscina, serviço de quarto e buffet de café da manhã.

Luxo

O Royal Palm Plaza é um resort 5 estrelas de Campinas. As instalações abrigam quadras de tênis, piscinas, banheira de hidromassagem, restaurantes e bares. O hotel funciona no esquema all inclusive.

ROTEIRO EM HOLAMBRA: O QUE FAZER EM 2 OU 3 DIAS

Selecionar um final de semana para ser apresentado à cidade mais holandesa da América Latina é decisão acertadíssima.

Muita gente opta pelo bate e volta até ela, partindo de São Paulo, mas um tempo a mais permite passeios desacelerados. E isso tem tudo a ver com o estilo do destino!

A seguir, propomos um roteiro em Holambra bem completinho. Ele funciona bem para quem pretende chegar na sexta-feira e voltar no domingo, por exemplo.

Contudo, se o tempo disponível for menor, é só alterá-lo de acordo com suas necessidades.

Dica: se você estiver indo durante a semana, não conte com a segunda-feira na hora de montar a lista de atividades. Nesse dia muita coisa fecha (muita mesmo!) e pode interferir no seu planejamento.

Roteiro em Holambra: DIA 1

Roteiro em Holambra, a capital das flores

Foto: Getty Images

Moinho Povos Unidos

Nada como chegar em um novo lugar e, de cara, conhecer um dos seus maiores símbolos, né? Em Holambra, esse título é do Moinho Povos Unidos. A construção de 38 metros foi projetada por um holandês e é aberta a visitação. No último andar, uma vista da cidade lhe aguarda.

E já que estamos falando de moinhos, ao lado fica o Portal do Moinho. Trata-se de um fotogênico portal de entrada da cidade. Vale alguns cliques.

Museu da Cultura e História

Que tal, em seguida, uma breve caminhada até o Museu da Cultura e História de Holambra? São 750 metros por ruazinhas boas de contemplar. Chegando lá, você tem a oportunidade de entender mais sobre a imigração e colonização holandesa no município. O espaço mantém um interessante acervo, recheado de documentos, fotografias e objetos.

Dependendo do horário, a fome pode estar apertando. Se esse for o caso, ali mesmo existe uma lanchonete com alguns quitutes típicos. O cardápio inclui tortas holandesas, bolinhos de neve e croquetes.

Deck do Amor

350 metros separam o museu da próxima atração: o Deck do Amor. Muito procurado, é onde os românticos deixam cadeados simbolizando seus amores. Inspirado na famosa Pont des Arts, de Paris, sabe? Fica colado ao Lago Vitória Régia, o que propicia um visual bonito. Sentar em um dos banquinhos de madeira e observar o movimento do local é uma delícia.

Boulevard Holandês

Depois de todas essas visitas, provavelmente o dia de chegada à cidade está perto de terminar. Aproveite o restinho dele para dar uma volta pelo Boulevard Holandês. Esse é mais um pedaço com arquitetura inspirada na Holanda e é onde estão as lojinhas, bancos e restaurantes.

Lá também fica o Casa Bela, que serve menu variado para o jantar. Caso prefira um lanche, o Hoek Burguer tem hambúrgueres artesanais bastante elogiados pela clientela.

Roteiro em Holambra: DIA 2

Campos de flores em Holambra

Foto: Getty Images

Campos de flores

Os campos de flores são programas considerados “obrigatórios” em Holambra. Grande produtora de diferentes espécies, ali o que não falta é chance de saber mais sobre o tema. Acontece que a maioria das estufas são particulares, ou seja, só podem ser visitadas com a presença de um guia credenciado.

Mas não se preocupe. No centro da cidade é fácil encontrar agências que oferecem o passeio: as principais são a Real Receptivo e a Theos Turismo. Durante minha passagem por lá, fiz com a Theos e não tive problemas. O tour normalmente tem duas ou três paradas em campos, percorrendo produções de margaridas, gérberas, entre outras. A duração é de 2 horas em média.

Quando estiver novamente no centro, preparado para o almoço, considere o Madurodam. O restaurante trabalha com buffet a preços justos.

Confeitaria Zoet en Zout

Ficou com vontade de saborear uma sobremesa tentadora? Então é hora de ir até a Confeitaria Zoet en Zout. Não é de se estranhar que o ambiente tenha se tornado ponto turístico. À beira do lago, tem mesas externas que convidam para uma experiência de degustação ao ar livre. Um de seus pratos mais procurados é o “Rozen Gebak” (doce de rosas), mas há opções para todos os paladares.

No fim da tarde, admirar o pôr do sol em meio a uma vasta plantação de girassóis não é nada mau, hein? Esse também é um passeio disponibilizado por agências. Assim como o anterior, fiz pela Theos Turismo e posso dizer que foi minha atração favorita da viagem. O cenário é de fazer suspirar.

Termine o dia com um jantar na Martin Holandesa. O restaurante tem decoração impecável, ótimo atendimento e cardápio diversificado.

Roteiro em Holambra: DIA 3

Nossa Prainha

Foto: Getty Images

Parque Van Gogh

A passagem por terras holambrenses está terminando, mas ainda reserva surpresas. Como o bucólico Parque Van Gogh, que une natureza e arte. Réplicas de quadros, lago, chalés e muitas árvores dão um toque especial ao lugar. Atividades esportivas também têm vez: escalada e tirolesa são exemplos.

Praça dos Coqueiros

Saindo do parque, em menos de um minuto você está na Praça dos Coqueiros. Para os admiradores de letreiros, um aviso: é lá que fica o de Holambra. As fotos estão garantidas.

Nossa Prainha

A nova parada é na Nossa Prainha. O parque é aberto ao público, tem área verde e um lago onde é possível avistar marrecos.

No Bar da Prainha, logo ao lado, os protagonistas são os petiscos. Boa pedida para a hora do almoço.

Recinto Expoflora

Antes de voltar para casa, fechando a programação, conheça o Recinto da Expoflora. Ainda que a festividade só aconteça em setembro, sua estrutura externa fica aberta o ano inteiro. Jardim florido, casas temáticas e painéis estão reunidos bem ali.

Quer mais um motivo para não perder? Também é onde fica a popular rua dos guarda-chuvas coloridos.

Baixe o mapa

Curtiu a sugestão de roteiro em Holambra? Baixe o mapa com a nossa sugestão de roteiro e acompanhe dicas em tempo real durante a sua viagem:

O roteiro em Holambra nos faz ter contato com uma cidade que adora valorizar suas origens. Esse traço faz com que ela seja responsável por proporcionar um verdadeiro mergulho em outras tradições. E mais: une-as ao Brasil, criando toda uma identidade própria. Boa viagem!

Tags:     

«
»