TOPO

“O que fazer em Santiago do Chile: 15 atrações imperdíveis”

Decidir o que fazer em Santiago não é uma missão simples. A capital chilena tem tantos atrativos interessantes que a vontade é de encaixar tudo no roteiro. Plural é uma característica que define bem o destino. Nele, o viajante se depara com a modernidade de uma metrópole ao mesmo tempo em que se surpreende com sua vasta história e cultura.

E no meio de tudo isso, não faltam cenários naturais deslumbrantes, gastronomia caprichada e tantos outros encantos.

Neste artigo, selecionamos 15 atrações imperdíveis em Santiago. Você vai conhecer aqueles pontos turísticos que merecem a fama que têm, além de opções que saem da rota padrão, mas são igualmente incríveis. Confira!

O QUE FAZER EM SANTIAGO DO CHILE: 15 ATRAÇÕES IMPERDÍVEIS

1. Plaza de Armas

Plaza de Armas em Santiago do Chile

Foto: Getty Images

A Plaza de Armas é o coração do centro da cidade e tem uma trajetória que caminha junto com a de Santiago. Por lá já ocorreram grandes festas públicas, assim como manifestações políticas marcantes. Ao redor é possível ver construções que dão continuidade a esta pegada histórica – a Catedral Metropolitana, por exemplo.

Sendo um ótimo ponto para começar suas andanças pela capital, na praça você ainda encontra monumentos, artistas de rua e muito da essência santiaguina.

Uma boa forma para conhecer a área e a história de Santiago é fazer um Free Walking Tour com um guia local.

Fique atento apenas com vendedores que por ventura lhe ofereçam algum pacote ou serviço turístico. Por ser uma área movimentada, este tipo de abordagem não é incomum e pode significar golpe.


Leia também:


2. Palácio La Moneda

O que fazer em Santiago do Chile

Foto: Getty Images

Ainda falando sobre centro histórico, o Palacio La Moneda é parada quase obrigatória. Sede oficial da Presidência da República, ele foi palco de acontecimentos que estão registrados na memória chilena. Um dos mais conhecidos é o ataque que sofreu na década de 70, durante a tomada de poder do ditador Augusto Pinochet.

Além de observar a fachada, quem vai conhecer o palácio também consegue visitar áreas internas do local. Para isso, é preciso fazer um agendamento com antecedência.

A cerimônia de troca de guarda é outro momento a se presenciar, o evento acontece em dias alternados – às 9h50 nos dias da semana e às 10h50 nos finais de semana.

3. Museu Chileno de Arte Pré-Colombiana

Museu de Arte Pré-Colombiana no Chile

Foto: Márcio Cabral de Moura via Flickr

Admiradores de museus não se decepcionam na hora de escolher o que fazer em Santiago. Entre as alternativas, um destaque é o Museo Chileno de Arte Precolombino.

Para você ter uma ideia, o espaço volta milhares de anos na história e oferece todo um panorama do passado latino-americano. Trata-se de um mergulho nas culturas andina, maia, inca, entre outras.

O acervo conta com mais de 2 mil objetos, entre roupas, cerâmicas, máscaras, peças de ouro e até mesmo múmias. Se não quiser perder a chance de incluir o passeio no roteiro, fique atento ao dia: o lugar fecha às segundas.

Aqui você confere os horários de funcionamento e valor dos bilhetes.

4. Barrio Paris-Londres

Bairro Paris-Londres em Santiago do Chile

Foto: Alexander Bustos Concha via Wikimedia Commons

O Paris-Londres foi batizado assim porque abrange duas pequenas ruas de mesmo nome, a Rua Paris e a Rua Londres. Juntas elas formam um conjunto arquitetônico que lembra muito o estilo das ruas europeias. Vale a pena caminhar e curtir a beleza do bairro, que também é super fotogênico.

E não para por aí. Na Rua Londres você encontra um achado que merece atenção. É a Londres 38, endereço que funcionou como casa de tortura na ditadura e hoje guarda um museu sobre o período.

5. Barrio Lastarria

Barrio Lastarria em Santiago do Chile

Foto: Getty Images

Lastarria tem uma atmosfera única. Arte, boemia e gastronomia se cruzam pelas ruas do bairro, formando um clima acolhedor. Ali é normal ver feirinhas de artesanato, livrarias, lojinhas bem decoradas, bistrôs e barzinhos. Experimente tirar um dia para explorar a rua José Victorino Lastarria no fim da tarde e à noite. A experiência é deliciosa.

Uma vez em Lastarria, aproveite para conferir também o Centro Cultural Gabriela Mistral. A fachada do centro já impressiona e por dentro tal sensação permanece. A principal proposta do ambiente é promover uma interação bacana entre a arte e as pessoas.

6. Cerro Santa Lucía

O que fazer em Santiago do Chile: Cerro Santa Lucía

Foto: Getty Images

Santiago é bastante conhecida por seus “cerros”, montes de onde é possível ter uma vista privilegiada. Entre os mais populares está o Santa Lucía, onde a cidade foi fundada, em 1541.

A área verde é perfeita para explorar com calma, admirando cada pedacinho. Longas escadarias, terraços e esculturas são frequentes pelo caminho. Entre as surpresas ainda estão uma fonte e um castelo (Castillo Hidalgo). No topo do morro, o mirante é protagonista.

Para ter um visual de arrancar suspiros quando chegar lá em cima, procure visitar o atrativo em dias de céu aberto. O parque funciona diariamente e a entrada é gratuita.

7. Mercado Central

Mercado Central de Santiago do Chile

Foto: Carlos Figueroa Rojas via Wikimedia Commons

Os mercados públicos costumam mostrar muito sobre a identidade de um destino. Isso porque eles reúnem moradores, turistas e elementos característicos em um só lugar. Em Santiago o mesmo acontece.

No Mercado Central sobram barracas e lojas expondo peixes frescos, frutos do mar, laticínios, frutas, verduras e souvenires. O próprio prédio histórico onde está localizado também é uma atração à parte, já que data do século XIX.

E quando o assunto é gastronomia, a popularidade continua. Os restaurantes dali recebem turistas interessados em especialidades típicas, como a centolla. O preço, contudo, não é dos mais convidativos.

Se fizer questão de provar algo sem gastar tanto, opte pelos estabelecimentos que ficam nos corredores afastados da parte central do mercado.

8. La Chascona

La Chascona de Pablo Neruda no Chile

Foto: Patton via Flickr

É difícil passar pela capital chilena sem se deparar com alguma referência a Pablo Neruda. O famoso poeta é um marco do país, tanto que suas casas são visitadas diariamente por milhares de pessoas. Três residências fazem parte do tour pela vida do escritor e La Chascona é uma delas.

Incrustada no bairro Bellavista, sua arquitetura diferente atrai olhares. Lá dentro, os visitantes confirmam o aspecto singular e cheio de personalidade do lugar. Para perambular pelos cômodos e se aprofundar no universo de Neruda, prefira fazer o passeio durante a manhã. Assim você evita filas.

Atualmente a La Chascona está aberta de quarta a sábado, das 10h às 18h. O ingresso é vendido a 7 mil pesos na entrada e é respeitada a ordem de chegada.

9. Pátio Bellavista

Já que estamos falando do agitado bairro Bellavista, como não lembrar do Pátio Bellavista? Ele nada mais é do que um shopping a céu aberto, repleto de restaurantes, bares e lojas. Multicultural, exibe um ar descolado, servindo de cenário para exposições e apresentações musicais.

Esse é um daqueles coringas que combinam com qualquer época do ano ou horário. Mas é à noite, principalmente aos finais de semana, que se torna um point.

E se a ideia é almoçar ou jantar por lá, não se preocupe. O cardápio é realmente variado, indo de cozinha especializada a fast food.

10. Cerro San Cristóbal

O que fazer em Santiago do Chile: Cerro San Cristóbal

Foto: Getty Images

O Cerro San Cristóbal é o morro mais alto da cidade. Localizado dentro do imenso Parque Metropolitano, é um programa capaz de proporcionar horas de atividades. Para chegar ao cume, o meio mais comum é através do percurso por funicular ou teleférico. No topo do monte você avista o mirante principal e o santuário da Imaculada Conceição.

Caso queira alternar as formas de transporte, está liberado. Ou seja, subir de funicular e descer por teleférico, por exemplo.

Ainda é possível fazer o trajeto a pé. Nesse caso, apesar da longa andança, a recompensa é boa. Andar pelo parque permite que você encontre outros tesouros, como piscinas e um jardim japonês.

11. Sky Costanera

O Sky Costanera impressiona mesmo de longe. O motivo não é mistério, afinal, o gigante de 300 metros é o prédio mais alto da América Latina. Em seu interior, um observatório e um shopping conquistam os turistas.

Assistir ao pôr do sol no mirante é mais do que recomendado. Por isso, tente se programar para conhecê-lo no fim da tarde e em dias de tempo aberto (quando a visibilidade é maior). Além de toda a cidade em 360° graus, você verá a Cordilheira se juntando ao espetáculo e formando um panorama lindo.

O edifício abre todos os dias. Ingressos são vendidos na própria bilheteria, no primeiro andar do shopping), e custam 15 mil pesos.

12. Vinícola Concha y Toro

Chile é quase sinônimo de vinho. Grande produtor sul-americano, o país coleciona centenas de vinícolas espalhadas por diferentes regiões. E aí vem a boa notícia: em Santiago você pode ser apresentado a algumas delas.

De fácil acesso e familiar aos brasileiros, o passeio pela Concha y Toro é um queridinho. Ele inclui visita guiada pela propriedade e degustação. Na hora de decidir o tour que deseja fazer, dá para escolher entre o tradicional e um mais técnico — com maior quantidade de degustações e acompanhamento de sommelier.

Independente do tipo escolhido, faça a reserva no site com antecedência. Chegando lá, é só retirar o ingresso na bilheteria. Outra boa opção é fechar uma excursão guiada com transfer

Agora, se você procura uma imersão ainda maior no enoturismo chileno, não deixe de conferir as 7 vinícolas que recomendamos a visita em Santiago.

13. Cajon del Maipo

Embalse el Yeso em Cajon del Maipo, Santiago

Foto: Getty Images

Como se não bastassem os atrativos da própria cidade, pelos arredores de Santiago também há muito o que fazer. Cercada pelas montanhas e a 2 horas de viagem está a região de Cajon del Maipo. A área engloba pequenas cidades e uma natureza fantástica. Com paisagens diferentes, é um prato cheio para quem gosta de atividades ao ar livre.

Trekking e banho em piscinas termais são só alguns programas que o local proporciona. Seu recanto mais conhecido, entretanto, é Embalse el Yeso. O reservatório encanta pelo tom das águas e por estar aos pés dos Andes.

Dá para chegar a Cajon del Maipo de carro ou fazendo passeios oferecidos por agências. Se a ideia for dirigir até lá, cuidado com a estrada. O final do trecho até Embalse el Yeso tem pedaços bem sinuosos e estreitos (durante o inverno, definitivamente, não é indicado).

14. Viña del Mar e Valparaíso

Valparaíso, Chile

Foto: Getty Images

Viña del Mar e Valparaíso ficam a aproximadamente 130 km de Santiago. A proximidade as tornam uma baita alternativa para passeios de bate-volta.

Ainda que sejam cidades vizinhas, “Viña” e “Valpo” são completamente diferentes uma da outra. Enquanto Vinã del Mar esbanje um ar de sofisticação, Valparaíso é reduto da arte e cultura. O que ambas têm em comum é a beleza, além de muitos pontos turísticos.

Mais uma casa de Neruda, mar do Pacífico, diversos museus, cassino: é este tipo de mistura que você encontra ao combinar os destinos.

Leia também o nosso guia completo sobre Valparaíso e Viña del Mar.

15. Valle Nevado e Farellones

Farellones e Valle Nevado são xodós quando o objetivo é aproveitar o inverno santiaguino. Na temporada de neve, tanto o parque quanto o centro de esqui se tornam sensação entre moradores e turistas.

O Valle Nevado é uma estação que abraça desde esquiadores experientes até os iniciantes na prática. Por ter boa estrutura, com teleférico, espaço gastronômico e hotel, também é um ambiente agradável para quem não realiza o esporte.

Farellones, por sua vez, é um parque que disponibiliza uma série de possibilidades para quem busca diversão na neve. Tirolesa, tobogã e snowboard são algumas.

Por mais que estejam juntos neste tópico, a dica sobre Valle Nevado e Farellones é não unir os dois em um único dia. Fazendo isso, você perde a chance de aproveitar com calma os pontos fortes de cada um.
Diante de tantas atrações, a única dúvida sobre o que fazer em Santiago é qual delas ver primeiro.

Dependendo dos seus gostos e agenda, ainda há outras preciosidades que podem fazer parte do time. É o caso da Igreja de São Francisco, mais antiga construção colonial da cidade, e do passeio por Isla Negra.

Aproveite e boa viagem!

Tags:   

«
»