TOPO

“7 vinícolas para conhecer em Santiago, no Chile”

Que o Chile é um gigante quando se trata de vinhos não é novidade. O que muita gente talvez não saiba é que nem é preciso ir longe para descobrir tesouros do enoturismo no país. Até mesmo na capital é possível apreciar este tipo de passeio. O que nos leva a uma questão: afinal, quais são as melhores vinícolas em Santiago?

A região conta com dezenas delas, entre as abertas ou não para visitação. Neste artigo, selecionamos 7 opções que são perfeitas para incluir nos planos de viagem. Continue a leitura para escolher sua favorita (ou para adicionar todas no roteiro)!

Enoturismo em Santiago

Antes de tudo, é legal entender a importância das vinícolas em Santiago e no Chile de uma forma geral.

Para você ter ideia, o país é um dos maiores produtores de vinho da América do Sul, junto com a Argentina. O fato também o coloca em posição de destaque entre os maiores exportadores do mundo! Inserido bem entre os Andes e o Oceano Pacífico, sua posição geográfica e clima favorecem o cultivo das uvas e qualidade da bebida.

Junto a isso, a forte cultura por trás de cada vinícola faz com que atraiam desde os fãs do assunto até os mais leigos. Singulares, são cerca de 150 produtoras que recebem turistas. Entre elas estão “viñas” super tradicionais, outras menores, e até aquelas já familiares a nós brasileiros (como a famosa Concha y Toro).

E é aí que Santiago entra nessa história, já que é pelos arredores da capital chilena que estão localizadas a maioria destes encantos. Mais precisamente na região conhecida como Vale de Maipo.

7 VINÍCOLAS PARA CONHECER EM SANTIAGO, NO CHILE

Além de belíssimo, o Vale de Maipo reúne castas de uvas variadas, indo de Cabernet Sauvignon a Carmenère, passando por Merlot, Malbec e Chardonnay.

Quando o assunto é vinícola em si, a pluralidade continua. Pela área você encontra tanto as mais antigas vinícolas do país quanto produtoras modernas. Encontra espaços onde dá para fazer um tour completo pelo universo da enologia, assim como locais com visitas mais dinâmicas. Enfim, há alternativas para todos os gostos!

A seguir, selecionamos as 7 melhores vinícolas em Santiago, todas abertas para visitação. Mais do que interessantes, elas também ganham pontos no quesito locomoção. Para conferi-las, você pode contar com passeios oferecidos por agências ou optar pelo transporte público.

Veja quais são:

1. Cousiño Macul

Melhores vinícolas de Santiago: Cousiño Macul

Foto: Viña Cousiño Macul

A Viña Cousiño Macul teve início em 1856 e, desde então, vem sendo administrada pela mesma família. Esse aspecto é um diferencial da vinícola e envolve toda a história do lugar, que é bastante rica.

Atualmente, ela oferece 8 tours para os visitantes. O mais econômico e clássico é o tour tradicional, que custa 15.000 pesos chilenos. O passeio inclui uma caminhada pelos ambientes históricos da viña: vinhedos, espaços de elaboração dos vinhos, tanques e museu. Para finalizar, é feita uma degustação com 3 taças de diferentes linhas.

Já o tour mais exclusivo é o passeio de bicicleta pelos jardins da propriedade. No “pacote” estão incluídas maior quantidade de degustações e paradas em outras instalações a serem exploradas. O valor é de 65.000 pesos chilenos.

Como chegar

Para chegar na Cousiño Macul, vá até a estação de metrô Quilín (linha 4 ou azul). De lá, finalize o trajeto de táxi ou com o ônibus da linha D57.

Muitas agências também disponibilizam o passeio, com a vantagem de buscá-lo e deixá-lo no seu hotel. Normalmente elas combinam a visita com alguma outra vinícola pelas proximidades.

2. Concha y Toro

Visita à vinícola Concha y Toro em Santiago do Chile

Foto: Concha y Toro

Se você gosta de vinho, provavelmente já experimentou algum da Concha y Toro. Ela é a responsável, por exemplo, pela linha Casillero del Diablo, sucesso no Brasil e no mundo.

A vinícola é a mais conhecida do Chile e recebe enorme quantidade de turistas durante o ano inteiro. Fundada em 1883, suas bebidas são distribuídas para mais de 130 países.

O lugar é tão queridinho dos viajantes brasileiros que por lá existe tour feito em português. O passeio tradicional abrange visita a jardins e ambientes de produção, inclusive a própria “Adega do Diabo”. De quebra, há degustação e uma taça de brinde ao final. Valor? 18.000 pesos chilenos.

O tour completo, por sua vez, custa 34.000 pesos. Entre os mimos estão a prova de 7 vinhos finos, seleção de queijos e acompanhamento de sommelier.

O ponto que algumas pessoas podem considerar negativo na vinícola Concha y Toro é o grande apelo turístico. Justamente pela fama que tem, a experiência de visita tende a ser menos intimista.

Como chegar

Indo por conta própria, pegue a linha 4 (azul) do metrô e desça na Estação Las Mercedes. Depois, basta completar o percurso de táxi ou de ônibus (número 73, 80 ou 81).

Se a ideia é contratar uma agência, saiba que não terá problemas. Por ser a principal vinícola de Santiago, não faltam passeios guiados.

3. Santa Rita

Vinícolas em Santiago, Chile: Viña Santa Rita

Foto: Viña Santa Rita

A Santa Rita costuma ser unanimidade na lista de melhores vinícolas em Santiago.

Com grande infraestrutura e ambientes exuberantes, tem tudo aquilo que domina nosso imaginário quando pensamos em viñas. Como se não bastasse, lá você também encontra restaurante, café, hotel, capela em estilo neogótico, termas e o Museu Andino.

A história do lugar é outro fator de interesse. Ali mesmo, em uma das casas da propriedade, 120 soldados se esconderam durante a luta pela independência chilena (no século XIX). Hoje, o imóvel é considerado Monumento Nacional do Chile.

No total, Santa Rita investe em 9 tours para os visitantes. O clássico — de 15.000 pesos — é focado em visita guiada, explicações sobre o processo de fabricação dos vinhos, degustação e taça de presente. Uma vez ali, ainda é possível visitar o museu de forma gratuita.

O tour ultra premium, de 70.000, se destaca por ser exclusivo e privado. A degustação é de 6 vinhos, que acompanham tábua de queijos, frutas secas e biscoitos.

Como chegar

O melhor jeito de chegar usando transporte público continua sendo através da linha 4 do metrô. Desça na estação Las Mercedes, siga a oeste e pegue o metrobus 81—Alto Jahuel, com destino a Buin. Ao entrar, apenas certifique-se de que está mesmo no Alto Jahuel, pois há outro metrobus 81 que toma uma direção diferente.

4. Undurraga

Visita à vinícola Undurraga em Santiago do Chile

Foto: Viña Undurraga

Fundada em 1885, a Viña Undurraga foi a primeira vinícola chilena a exportar produtos para os Estados Unidos. Ela está localizada em uma área com belas paisagens e plantações, além da Fazenda Santa Ana.

Com uma mistura de modernidade e tradição, mantém um estilo charmoso, acolhedor. Isso pode ser sentido pelos seus tours, elogiados pelo aspecto atencioso. Um deles é o Sibaris, que custa 16.000 pesos. Carro-chefe do lugar, tem parada nos vinhedos, porões subterrâneos e espaços que homenageiam os povos nativos do Chile. A degustação, claro, também tem vez.

Por 28.000 mil pesos chilenos existe, ainda, o Tour Founders. Nele, você conhece a sala de aromas, experimenta 4 vinhos premium e saboreia uma seleção de queijos e nozes.

Como chegar

Por conta própria, é preciso pegar o metrô até a Estação Central (linha 1 ou vermelha). Chegando, vá até o terminal de ônibus San Borja e identifique a linha Talagante (perto da plataforma 75). Para descer no ponto sem erro, avise ao motorista que pretende ir para a vinícola.

5. Aquitania

Visita à Viña Aquitania, no Chile

Foto: Viña Aquitania

Em comparação às outras vinícolas listadas, a Viña Aquitania é caçula, o que não diminui em nada sua qualidade. Fundada oficialmente nos anos 90, é uma especialista em Cabernet Sauvignon desde o começo de sua história.

Conhecê-la traz um ponto positivo muito válido de se considerar: a chance de acompanhar processos artesanais de produção. Na vinícola, o etiquetamento das garrafas, por exemplo, é feito manualmente.

Dois tours são realizados no espaço, ambos com direito a entrada no vinhedo, adega, sala de armazenamento e setor de rotulagem. Neles também estão incluídos degustação de 4 vinhos e queijos para acompanhar. O que muda de um para o outro são os tipos de bebidas a serem provadas, pois até mesmo os valores são os mesmos (25.000 pesos chilenos).

Como chegar

Outro ponto forte da Aquitania é a fácil localização. Para ir até lá, desça na estação de metrô Quilín (linha 4 ou azul) e pegue o ônibus D17. Também dá para completar o caminho de táxi.

6. Santa Carolina

Visitação na vinícola Santa Carolina em Santiago do Chile

Foto: Viña Santa Carolina

A vinícola Santa Carolina foi fundada em 1875. Em 2010, porém, fechou para visitação e entrou em reformas (por conta dos terremotos que atingiram o Chile naquele período). 5 anos depois, em 2015, voltou a abrir as portas.

Atualmente, a viña continua pronta para recepcionar aqueles que querem conhecer uma das 5 maiores produtoras de vinho do país. Por ter vinhedos espalhados por várias regiões, nos tours não é possível conhecer as parreiras da marca. No entanto, seu diferencial é a adega subterrânea que foi declarada Monumento Nacional do Chile, em 1973.

O passeio tradicional da Santa Carolina custa 14.000 pesos e tem caminhada guiada, degustação e uma garrafa de vinho de presente. O premium, de 35.000, adiciona na experiência uma maior quantidade de provas, além de uma mesa repleta de sabores.

Como chegar

É bem fácil chegar à vinícola de transporte público. Vá de metrô até a Estação Baquedano (linha 1 ou vermelha). Lá, faça a transferência para a linha 5 (verde) e desça na estação Rodrigo de Araya. Da estação até a viña dá para ir andando.

7. Haras de Pirque

Haras de Pirque no Chile

Foto: Haras de Pirque

Apesar de menos conhecida, a Haras de Pirque é convidativa para quem aprecia visitas num estilo personalizado.

Considerada uma vinícola boutique, tem selo de cultivo orgânico e projeto arquitetônico único. O formato de ferradura do prédio já nos faz perceber a relação que o local mantém com a criação de cavalos. Complementando, é ele que facilita o trabalho manual de produção dos vinhos.

A viña disponibiliza diferentes experiências pela propriedade. Para reservar, é preciso entrar em contato por e-mail e combinar horários. Lá ainda fica um restaurante bastante elogiado, com uma vista incrível para os vinhedos.

Como chegar

Infelizmente, não há linhas de ônibus que passam perto da vinícola. Contudo, você pode pegar o metrô até a estação Plaza Puente Alto (linha 4, azul), finalizando o trajeto com táxi.

Dicas para planejar a sua visita nas vinícolas em Santiago

Conhecer as melhores vinícolas em Santiago é uma boa ideia em qualquer época. Porém, se você quer fazer delas as protagonistas da viagem, considere os meses de março e abril. É quando as parreiras estão carregadas e as festas da colheita estão no auge.

E independentemente da época, para curtir ao máximo o passeio e garantir a atração, não deixe de agendar as visitas com antecedência.

Além disso, é interessante pensar na locomoção. Ao longo do post sugerimos as melhores formas de chegar a cada vinícola usando o transporte público. Contudo, caso você não queira perder muito tempo com deslocamentos, a sugestão é optar por aquelas de acesso mais fácil, como a Concha y Toro, ou por um tour com transporte incluso.

Confira algumas opções de tours com transfer em Santiago:

Não custa lembrar que, como a visita às vinícolas naturalmente inclui a degustação da bebida, dirigir após o passeio não é uma boa ideia.

Agora que você já sabe como dar um toque todo especial (e saboroso) aos seus dias no Chile, só resta aproveitar. Bom passeio!

Tags:    

«
»