TOPO

“Moeda do México: o que, como e quanto levar em uma viagem ao país!”


A moeda do México é o peso mexicano. Portanto, se você planeja conhecer Cancún, a Riviera Maia, a Cidade do México ou outros destinos turísticos do país, precisará ter pesos mexicanos disponíveis na carteira.

Já adianto que a melhor forma para isso não é adquirindo suas notas de pesos ainda no Brasil. Então, qual moeda levar para o México?

Neste artigo, reunimos todas as informações importantes sobre o peso mexicano, sua cotação e as melhores formas de levar seu dinheiro em uma viagem ao país.

sumáriodivisor sumário

QUAL É A MOEDA DO MÉXICO?

A moeda oficial do México é o peso mexicano, representado pelo código MXN.

Criada em 1863, essa é a terceira moeda mais negociada das Américas, ficando atrás apenas do dólar americano e do dólar canadense.

O peso mexicano possui 5 notas bancárias em circulação: de 20, 50, 100, 200 e 500. Quando se trata de moedas, você as encontrará nos valores de 5, 10, 20 e 50 centavos (essas pouquíssimo comuns), bem como 1, 2, 5 e 10 pesos.


Leia também:


Cotação do peso mexicano x dólar x real

Diversas notas e moedas de pesos mexicanos

Foto: Getty Images

Como é de praxe com qualquer moeda, o valor do peso mexicano frente ao mercado internacional é flutuante. Mas, apenas para exemplificar, você pode conferir um comparativo com o real brasileiro e com o dólar americano na data de publicação deste artigo, com base na cotação comercial¹:

  • 1 real = 3,30 pesos mexicanos
  • 1 dólar = 18,17 pesos mexicanos


Vale dizer que o câmbio comercial é diferente daquele que você terá acesso para a sua viagem. Isso porque embora ele seja praticado por algumas modalidades de conversão (como os cartões da Wise e Nomad), ainda haverá a cobrança de taxas administrativas (o chamado spread) e IOF.

Além disso, há também o câmbio turismo, que é praticado pelas Casas de Câmbio e possui taxas menos favoráveis ao comprador, mas tem como vantagem a isenção do IOF quando convertido em terras mexicanas.

¹ A cotação foi conferida na data de publicação deste artigo e segue o câmbio comercial.

CÂMBIO DA MOEDA EM ESPÉCIE

Casa de câmbio no México

Foto: Getty Images

Embora não seja o método mais seguro e conveniente, já que acrescenta um trabalho extra à sua viagem, fazer o câmbio de moeda em espécie é uma das maneiras mais econômicas de levar dinheiro para o México. Mesmo que as casas de câmbio brasileiras utilizem a cotação do câmbio turismo (e não a comercial) e a transação seja sujeita a um tributo de 1,1% de IOF, ainda assim pode ser uma opção vantajosa.

No entanto, para realmente ter vantagem, você não pode sair do Brasil já com os pesos mexicanos na carteira. Explico melhor a seguir.

Qual moeda levar para o México: pesos mexicanos, real ou dólares?

É possível encontrar pesos mexicanos para comprar em casas de câmbio no Brasil, mas dificilmente o valor será justo. O mesmo vale para o real no México, onde as taxas de câmbio também serão desfavoráveis.

Por isso, a melhor moeda em espécie para levar para o México é o dólar americano. Por ser uma moeda de grande circulação, ela é comercializada a boas taxas no mundo inteiro.

Com o dólar em mãos, o câmbio para o peso mexicano será feito apenas ao chegar no México, em casas de câmbios locais.

Caso seu destino seja Cancún ou arredores, você tem ainda mais vantagens ao levar dólares na carteira. Isso porque a moeda norte-americana é muito bem aceita na região para pagar passeios, hotéis e até mesmo alguns restaurantes e lojas.

Ou seja, embora seja útil ter um pouco de pesos mexicanos, você não precisará converter todo o seu dinheiro duas vezes (de real para dólar ainda no Brasil e, depois, de dólar para pesos mexicanos no México).

Agora, com exceção do Caribe, para os demais destinos do país incluindo Cidade do México, será essencial converter seus dólares para a moeda local.

Onde comprar pesos mexicanos no México

Depois de desembarcar no México com seus dólares, você precisará trocar por pesos mexicanos. Antes de ir a uma casa de câmbio, faça uma breve pesquisa, pois as taxas cambiais podem variar significativamente.

Evite trocar em bancos, hotéis e aeroportos, pois eles tendem a cobrar taxas mais altas. Nas áreas turísticas, é mais fácil encontrar casas de câmbio com taxas mais justas.

Em Cancún, foque no centro da cidade, sobretudo entre a avenida Cobá e a Tulum, ou então no centro comercial localizado na Avenida Xel-Ha, também conhecido como Supermanzana 28.

Já na Cidade do México, não será difícil encontrar casas de câmbio nos bairros mais turísticos, como Roma Norte, La Condesa, Polanco ou o Centro Histórico. E a verdade é que as tarifas entre uma e outra mudam muito pouco. Meu conselho é avaliar as cotações na própria região que se hospedará.

Outra dica é não trocar todo o seu dinheiro de uma só vez. Troque aos poucos, conforme os gastos da viagem. Com isso você evita voltar para o Brasil com moeda do México ou ainda precisar convertê-la novamente para dólares, o que sempre gera perda de dinheiro nas taxas cambiais.

Vantagens e desvantagens do câmbio em espécie no México

Aqui, reunimos as principais vantagens e desvantagens de levar o seu dinheiro em espécie para trocar em uma Casa de Câmbio no México:

Vantagens de fazer o câmbio de moeda em espécie:

  • Taxa de câmbio vantajosa se comparada a outros métodos;
  • Transparência nas transações (você sabe exatamente o quanto está gastando);
  • Alguns destinos mexicanos aceitam o dólar como pagamento, sem a necessidade de converter seu dinheiro uma segunda vez.

Desvantagens de fazer câmbio de moeda em espécie:

  • Você precisará primeiro comprar dólares em uma Casa de Câmbio no Brasil;
  • Já no destino, será necessário uma vez mais ir até uma Casa de Câmbio, dessa vez para trocar seus dólares por pesos mexicanos;
  • As melhores taxas de câmbio são encontradas na Cidade do México, mas os dias e horários de funcionamento das instituições são limitados;
  • Fora da capital, as taxas de câmbio são menos vantajosas;
  • Não é muito seguro andar com grandes volumes de dinheiro (leve doleira e procure guardar os valores no cofre do hotel).

CARTÃO DE CRÉDITO NO MÉXICO

Cartões de crédito

Foto: Getty Images

Os cartões de crédito, especialmente os de bandeira VISA e MasterCard, são amplamente aceitos no México em restaurantes, hotéis, supermercados e lojas. Porém, para compras em lojinhas menores, barraquinhas de comida de rua, feiras ao ar livre e transporte público, você precisará de pesos mexicanos em espécie.

Embora os cartões de crédito ofereçam praticidade e segurança, eles costumam resultar em custos mais altos devido às taxas cambiais e bancárias, nem sempre muito vantajosas e pouco transparentes, além do IOF de 4,38%  (comparado a 1,1% para moeda em espécie).

Antes de viajar, lembre-se de habilitar seu cartão para uso no exterior, um procedimento simples que muitos bancos permitem fazer pelo aplicativo.

Saques com o cartão de crédito no México

Você encontrará caixas ATM espalhados por todo o México. Se você não pretende fazer o câmbio de dinheiro em espécie, poderá sacar pesos mexicanos com seu cartão brasileiro.

Embora o procedimento seja simples, saiba que todos os caixas eletrônicos do México cobram taxas de saque para cartões estrangeiros, seja um valor fixo (mais comum) ou proporcional ao montante retirado. Além disso, o emissor do seu cartão também pode cobrar uma taxa (vale consultar antes).

Para evitar surpresas, sempre cheque as taxas antes de confirmar a transação no caixa eletrônico. Terminais do Inbursa, BanBajio, Banca Mifel e BanCoppel são mais econômicos, cobrando entre 22 e 30 pesos por saque. Evite os ATMs do BBVA, Banregio, Banorte e Multiva, que cobram entre 60 e 175 pesos.

Por fim, fique atento ao limite de saque, que varia de banco para banco. Por exemplo, o HSBC permite saques de até 15 mil pesos por dia, enquanto no Banamex o limite é de 6 mil pesos diários.

Vantagens e desvantagens de usar o cartão de crédito no México

Veja quais são as maiores vantagens e desvantagens de usar o seu cartão de crédito no México:

Vantagens de usar o cartão de crédito:

  • É prático, basta habilitar para uso no exterior;
  • É mais seguro, pois permite que você não ande com grandes montantes de dinheiro;
  • O pagamento é feito só na data da faturação;
  • É possível utilizá-lo para saques;
  • Acumula pontos no programa de fidelidade do cartão (dependendo do cartão, claro);
  • Boa opção de emergência para ter na carteira.

Desvantagens de usar o cartão de crédito:

  • IOF de 4,38%;
  • Sujeito às variações de câmbio e altas taxas bancárias;
  • Pouca transparência quanto ao câmbio e taxas;
  • Os terminais eletrônicos do México cobram altas taxas de saque;
  • O próprio cartão de crédito pode cobrar taxa de saque (cada um possui uma política, é preciso consultar a da administradora do seu cartão).

CARTÃO INTERNACIONAL MULTIMOEDAS

Atualmente, os cartões internacionais multimoedas são uma das alternativas mais populares entre os viajantes.

Na prática, eles funcionam como cartões de débito, podendo ser usados em maquininhas ou para saques. A diferença é que são internacionais e multimoedas, permitindo escolher as moedas de saldo e pagamento.

A grande vantagem é o  uso do câmbio comercial, spread reduzido e IOF de 1,1% (comparado a 4,38% dos cartões de crédito).

Cada instituição tem suas taxas e peculiaridades. Dois bons cartões para viagens ao México são os da Wise e da Nomad.

Cartão da Wise

Mulher com aplicativo da Wise aberto em celular

Aplicativo mobile da Wise

Dentre os cartões multimoedas atualmente disponíveis no mercado, o cartão da Wise costuma sair na frente para o uso em viagens no México. Além de tarifas administrativas vantajosas (a 0,95% na nossa simulação), ele possibilita armazenar saldo tanto em reais, quanto em pesos mexicanos (e mais de 50 outras moedas).

Em uma simulação realizada na data de publicação deste artigo, o câmbio final (já incluídos imposto e tarifas) foi de R$ 1 para 3,24 pesos mexicanos.

A operacionalização do cartão é bem simples, já que tanto o site quando o aplicativo da Wise são bastante intuitivos.

Ao abrir a sua conta, que é gratuita, e fazer a primeira transferência, você também poderá solicitar o cartão de débito físico sem custo. Porém, caso você ainda não tenha uma conta, recomendo fazer todo o processo pelo menos algumas semanas antes da viagem para garantir que o cartão chegue a tempo.

Taxa de saque da Wise

Como falamos, esse tipo de cartão pode ser usado tanto para compras na maquininha quanto para saques. Acontece que saques no exterior costumam ter taxas – e não é diferente com o cartão da Wise.

Esse cartão permite até 2 saques gratuitos por mês desde que o valor total não ultrapasse o equivalente a R$1.400. Depois disso, é cobrado R$ 6,50 por transação, mais 1,75% sobre os valores excedentes.

Para economizar, faça apenas um saque com o necessário para as despesas miúdas (barraquinhas e entradas turísticas, por exemplo) e passe o cartão para pagar despesas maiores. Assim, você ainda terá mais um saque gratuito no mês caso seja necessário.

Atente-se também às taxas de saque cobradas pelos próprios caixas ATM mexicanos, que são as mesmas cobradas para operações com o cartão de crédito (leia novamente).

 

Tarifa zero na sua primeira transferência

Ao criar a sua conta na Wise através deste link, a sua primeira transferência de até 500 £ ( +/- R$ 3.000) será livre de tarifas, garantindo ainda mais economia para a sua viagem.

Cartão da Nomad

Celular com aplicativo da Nomad aberto

Aplicativo mobile da Nomad

Outra opção vantajosa dentre os cartões multimoedas é o cartão na Nomad. Ele possui funcionalidades parecidas com o da Wise, mas apenas conta com saldo em dólares americanos.

Na prática, você carregará ele com dólares (pagando em reais) e, ao fazer pagamentos no México, haverá uma nova conversão das moedas aplicando-se a taxa de conversão da Mastercard, que é a emissora do cartão Nomad.

Nele, também é aplicado o câmbio comercial (para carregar os dólares americanos) e IOF de 1,1%. A diferença maior fica por conta do spread e o segundo câmbio para a moeda local.

O spread varia de acordo com o nível do usuário no Nomad Pass, o programa de fidelidade da empresa (veja os critérios). Ela começa em 2% e chega a 1%. Logo, mesmo na hipótese mais vantajosa, a cotação da Nomad ainda fica um pouco atrás da Wise (spread de 0,95%).

Fizemos uma simulação com a maior taxa, de 2%, para novos usuários; e com 1%, para usuários frequentes.

Na primeira situação (2%), após passar pelo caminho “real brasileiro > dólares americanos > pesos mexicanos”, o câmbio final foi de R$ 1 para 3,15 pesos mexicanos.

Já para o usuário que atingiu o último nível do programa de fidelidade (1%), o câmbio final seria de R$ 1 para 3,18 pesos mexicanos.

Taxa de saque da Nomad

Com o cartão da Nomad, os dois primeiros saques do mês são gratuitos, com o limite de US$ 500 (ou o equivalente) por operação. Já a partir do terceiro saque, há uma taxa de US$ 5 por transação.

Fora isso, existem os limites e taxas operacionais aplicados pelos próprios terminais eletrônicos (leia novamente).

 

Cashback na sua primeira transferência

Ao criar a sua conta através deste link e usar o cupom  VIAJAQUEPASSA , aproveite todos os benefícios de ser um cliente Nomad e ganhe até 20 dólares de cashback na sua primeira remessa, desde que ela seja feita em até 15 dias após a inserção do cupom no aplicativo.

O cashback equivale a 2% do valor transferido, com um limite máximo de 20 dólares.

Vantagens e desvantagens de usar um cartão multimoedas no México

Aqui, reunimos as principais vantagens e desvantagens de usar um cartão multimoedas (Wise ou Nomad) no México:

Vantagens de usar os cartões multimoedas no México:

  • IOF de 1,1% (contra 4,38% dos cartões de crédito);
  • Câmbio comercial;
  • Taxas administrativas mais econômicas que as dos cartões de crédito;
  • Método prático e seguro;
  • Transparência quanto aos valores cobrados;
  • Permite que você carregue o dinheiro aos poucos, aproveitando, inclusive, as baixas de câmbio.

Desvantagens de usar os cartões multimoedas no México:

  • Caso você ainda não tenha conta na Wise ou Nomad, é preciso se programar algumas semanas antes da viagem para receber o cartão físico a tempo (os cartões digitais são liberados na hora);
  • Permitem fazer apenas 2 saques gratuitos por mês. Acima disso, há cobrança de taxas;
  • Os terminais eletrônicos do México cobram altas taxas de saque.

GORJETAS NO MÉXICO

Pessoa pagando conta em restaurante com cartão

Foto: Getty Images

Receber gorjeta (propina em espanhol) por parte dos prestadores de serviço do México é algo esperado.

Em restaurantes, diferente do que acontece no Brasil, esse valor a mais pelo serviço não vem considerado na conta final. Calcule entre 10% a 20%, conforme sua satisfação com o atendimento, para agregar ao pagamento. Caso pague com cartão, a gorjeta pode ser incluída no valor da transação (o garçom perguntará se deseja agregar propina e você responde com a porcentagem desejada).

A cultura da gorjeta no México se estende também aos prestadores de serviços dos hotéis (camareiras e carregadores de bagagem, por exemplo), que costumam receber entre 20 e 50 pesos, e dos passeios turísticos, com uma propina entre 10% a 20% do preço do tour.

QUANTO VOU GASTAR NA MINHA VIAGEM PARA O MÉXICO?

O custo de uma viagem é algo relativo, dependendo do tipo de experiência que você deseja e, no caso do México, dos destinos que pretende visitar (pois algumas regiões são mais caras que outras).

Fatores como padrão de hospedagem, passeios, restaurantes e formas de deslocamento influenciarão significativamente o total gasto na viagem.

Portanto, ao calcular os gastos, é importante considerar três pontos principais: hospedagem, alimentação e atrações. Para ilustrar alguns custos, usaremos Cancún, um dos destinos mais procurados pelos brasileiros, como referência:


Hospedagem

O custo de uma hospedagem em Cancún varia muito. Afinal, o destino é famoso pelos seus resorts pé na areia all inclusive, mas também conta com hotéis econômicos, principalmente na região central.

E, até mesmo dento da categoria resort, a cidade oferece uma boa variedade de preços.

Considerando estadias bem avaliadas e bem localizadas, veja abaixo uma média aproximada das tarifas diárias* na moeda do México:

  • Cama em hostel (quarto compartilhado): média de 200 pesos mexicanos;
  • Quarto padrão em hotel 3 estrelas para 2 pessoas: entre 1.100 a 2.000 pesos mexicanos;
  • Quarto padrão em resort 4 estrelas sem regime all inclusive para 2 pessoas: a partir de 3 mil pesos mexicanos;
  • Quarto padrão em resort 5 estrelas com regime all inclusive para 2 pessoas: a partir de 6 mil pesos mexicanos.

*Fonte: Booking.com


Alimentação

Os custos com alimentação em uma viagem variam conforme o estilo do viajante. Inclusive, falando especificamente de Cancún, este item varia também conforme o tipo de hospedagem. Afinal, quem opta por um resort all inclusive praticamente não terá gastos extras com comida.

Confira a média de preço* de alguns itens nos restaurantes de Cancún:

  • Refeição em restaurante econômico: 260 pesos mexicanos;
  • Refeição completa para 2 pessoas (3 pratos): 790 pesos mexicanos;
  • Refrigerante lata: 30 pesos mexicanos;
  • McMeal no McDonalds: 185 pesos mexicanos;
  • Cerveja local (500 ml): 60 pesos mexicanos.

*Fonte: Numbeo


Atrações

Atividades não faltam para quem visita o Caribe mexicano. Distribuídas entre Cancún e as cidades vizinhas de Playa del Carmen e Tulum, há opções para todos os gostos.

Independentemente da atração que deseja visitar, sempre haverá o custo do ingresso. Além disso, é importante considerar como chegar até o local: carro alugado, excursão ou tour privativo, pois tudo isso interfere no preço do passeio.

Entre as atrações mais visitadas da região estão os cenotes, com entrada a partir de 200 MXN; as Ruínas Maias de Tulum, com ingressos a 95 MXN; e o Sítio Arqueológico Chichen Itzá, por 614 MXN.

Há também passeios para as ilhas da região, como a de Cozumel e a Isla Mujeres. Confira o valor de algumas experiências disponíveis na nossa parceira Civitatis:

DICAS FINAIS: QUAL MOEDA, COMO E QUANTO LEVAR PARA O MÉXICO

Este levantamento sobre as melhores alternativas para levar dinheiro para o México nos traz algumas conclusões sobre qual moeda levar e como usá-la.

Ter em mãos um cartão internacional multimoedas garante praticidade e economia na viagem (e aqui o Wise leva a melhor). Essa é uma das maneiras mais fáceis de levar e usar seu dinheiro no dia a dia, com a vantagem de taxas convenientes. Além disso, com esse tipo de cartão, você pode sacar pesos mexicanos para ter a moeda local na carteira, o que é muito importante no México.

Se for levar dinheiro em espécie do Brasil, leve dólares e troque por pesos mexicanos em casas de câmbio no México. Caso seu destino seja a região de Cancún, troque apenas o necessário, pois você poderá pagar muitos dos seus gastos diretamente com a moeda norte-americana.

Por fim, como um plano de emergência, leve também um cartão de crédito desbloqueado para uso internacional. Aposte na combinação de todos esses recursos e curta sua viagem com tranquilidade.

Você sabia?

O Viaja que Passa ganha uma pequena comissão a cada reserva que você faz através dos links dos nossos parceiros. Você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a continuar publicando conteúdos autorais e imparciais para ajudar na sua viagem!

Tags:     

«
»