TOPO

“Moeda da Inglaterra: o que, como e quanto levar em uma viagem ao Reino Unido”


Sua viagem para a Inglaterra está marcada e é hora de planejar quanto dinheiro levar. Nessa etapa, algumas dúvidas comuns surgem. Afinal, qual é a moeda da Inglaterra? Vale mais a pena levar dinheiro em espécie, usar cartões multimoedas ou passar tudo no crédito?

Neste artigo, você vai entender melhores sobre as libras esterlinas e a melhor forma de levar seu dinheiro. Além disso, forneceremos detalhes práticos para organizar os gastos durante a viagem. Confira todas as dicas a seguir!

sumáriodivisor sumário

QUAL É A MOEDA DO REINO UNIDO?

A moeda do Reino Unido – portanto utilizada na Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte – é a libra esterlina (pounds em inglês). Ela existe desde o século VII e, por isso, é uma das moedas mais antigas do mundo.

Representada pelo símbolo £ e pelo código GBP (British Pounds Sterling), possui 4 notas bancárias em circulação: de 5, 10, 20 e 50. Já em relação às moedas, você as encontrará nos valores de 1, 2, 5, 10, 20 e 50 centavos, bem como de 1 e 2 libras.

As notas de £1 e £100 também existem, mas você apenas as encontrará na Escócia e na Irlanda do Norte.

Inclusive, uma curiosidade, a Rainha Elizabeth II foi a primeira monarca a estampar as notas de libra esterlina. As cédulas com a imagem do atual rei Charles III entraram em circulação há pouco, em junho de 2024, e gradualmente substituirão aquelas com sua mãe.

Cotação das libras esterlinas x real x euro x dólar

Notas variadas de libras esterlinas, a moeda da Inglaterra

Foto: Getty Images

Como é de praxe com qualquer moeda, o valor das libras esterlinas frente ao mercado internacional é flutuante. Mas, apenas para exemplificar, você pode conferir um comparativo com o real brasileiro e com o euro na data de publicação deste artigo, com base na cotação comercial:

  • 1 libra esterlina = 7,02 reais
  • 1 libra esterlina = 1,18 euros
  • 1 libra esterlina = 1,28 dólares americanos


Vale dizer que o câmbio comercial é diferente daquele que você terá acesso para a sua viagem. Isso porque embora ele seja praticado por algumas modalidades de conversão (como os cartões da Wise e Nomad, conforme explicarei adiante), ainda haverá a cobrança de taxas administrativas (o chamado spread) e IOF.

Além disso, há também o câmbio turismo, que é praticado pelas Casas de Câmbio e possui taxas menos favoráveis ao comprador.

CÂMBIO DA MOEDA EM ESPÉCIE

Compra de moeda estrangeira em casa de câmbio

Foto: Getty Images

Embora não seja o método mais seguro e conveniente, fazer o câmbio de moeda em espécie é uma das maneiras de levar o seu dinheiro para a Inglaterra.

Porém, para garantir vantagem com essa opção e não perder dinheiro nas transações, é preciso ficar atento a alguns detalhes que explicarei na sequência.


Leia também:


Qual moeda levar para a Inglaterra: real, libras esterlinas ou euros?

Para que de fato seja vantajoso levar seu dinheiro em espécie para a Inglaterra, o melhor a se fazer é trocar seus reais por libras esterlinas em Casas de Câmbio ainda no Brasil.

Como já falamos, essas instituições seguem o câmbio turismo, não o comercial. Além disso, quando a transação é feita no Brasil, ainda há a incidência tributária de 1,1% de IOF.

Porém, como a moeda inglesa é forte e de amplo interesse comercial, é fácil encontrá-la a taxas de conversão competitivas em cidades como São Paulo, por exemplo.

Cotando na Melhor Câmbio, na data da publicação deste artigo, 1 libra está custando, em média, R$ 7,48, já com tarifas e impostos incluídos.

Você também conseguirá trocar seus reais pela moeda da Inglaterra em Casas de Câmbio do Reino Unido, especialmente em Londres. Porém, você certamente encontrará taxas menos vantajosas que no Brasil.

E vale a pena levar euro ou dólar? A moeda da União Europeia ou dos Estados Unidos funciona bem caso você a tenha “sobrando” e queira fazer o câmbio direto na Inglaterra (assim você não paga pelo IOF).

Agora, se a dúvida é se você poderá usá-las para comprar em estabelecimentos ingleses, a resposta é não. Você necessariamente precisará ter libras esterlinas para pagar por qualquer compra.

Vantagens e desvantagens do câmbio em espécie

Aqui, reunimos as principais vantagens assim como as desvantagens de trocar seus reais por libras esterlinas em espécie em Casas de Câmbio no Brasil:

Vantagens de fazer o câmbio de moeda em espécie:

  • IOF de 1,1 % (contra 4,38% dos cartões de crédito);
  • Transparência nas transações (você sabe exatamente o quanto está gastando).

Desvantagens de fazer câmbio de moeda em espécie:

  • Câmbio turismo, bem mais alto que o comercial;
  • Não é muito seguro andar com grandes volumes de dinheiro (por isso, leve doleira e procure guardar os valores no cofre do hotel).

CARTÃO DE CRÉDITO NA INGLATERRA

Cartões de crédito de bandeiras VISA e MasterCard

Foto: Getty Images

Os cartões de crédito são amplamente aceitos nos restaurantes, hotéis, supermercados e lojas da Inglaterra, principalmente aqueles de bandeira VISA e MasterCard.

Os pontos positivos do cartão de crédito são a praticidade e segurança. Entretanto, a conta fica mais alta ao usá-lo.

Além de taxas cambiais e bancárias nem sempre muito vantajosas e pouco transparentes, os cartões contam com a incidência de 4,38% de IOF sobre todas as compras no exterior (contra 1,1% da moeda em espécie).

Vale lembrar que, antes de viajar, é importante habilitar o seu cartão para uso no exterior. O procedimento é simples e muitos bancos permitem que você mesmo o faça através do respectivo aplicativo.

Saques com o cartão de crédito na Inglaterra

Você encontrará caixas ATM espalhados por toda a Inglaterra.

Caso fazer o câmbio de dinheiro em espécie não seja uma opção, você pode, sim, contar com a possibilidade de sacar libras esterlinas com o seu cartão brasileiro.

O procedimento é simples e, diferente do que acontece na maior parte do mundo, a grande maioria dos caixas eletrônicos ingleses não cobram taxa de saque para cartões estrangeiros.

O que existe, porém, são as taxas do próprio emissor do seu cartão (vale a pena consultar as regras do seu). Outro ponto de atenção são as taxas cambiais que seu cartão aplicará, que muitas vezes não ficam claras no momento do saque.

Vantagens e desvantagens de usar o cartão de crédito na Inglaterra

Veja quais são as principais vantagens, assim como as desvantagens de usar o seu cartão de crédito na Inglaterra:

Vantagens de usar o cartão de crédito:

  • É prático, basta habilitar para uso no exterior;
  • É mais seguro, pois permite que você não ande com grandes montantes de dinheiro;
  • O pagamento é feito só na data da faturação;
  • É possível utilizá-lo para saques;
  • Acumula pontos no programa de fidelidade do cartão (depende do cartão, claro);
  • Boa opção de emergência para ter na carteira.

Desvantagens de usar o cartão de crédito:

  • IOF de 4,38%;
  • Sujeito às variações de câmbio e altas taxas bancárias;
  • Pouca transparência quanto ao câmbio e taxas bancárias;
  • O próprio cartão de crédito pode cobrar taxa de saque (cada um possui uma política, por isso consulte a da administradora do seu cartão).


CARTÃO INTERNACIONAL MULTIMOEDAS

Atualmente, os cartões internacionais multimoedas disparam como uma das alternativas mais populares entre os viajantes.

Na prática, eles funcionam como cartões de débito, podendo ser usados em maquininhas ou para saques. A diferença é que são internacionais e multimoedas, permitindo escolher as moedas de saldo e pagamento.

Assim como os cartões de crédito, eles podem ser usados até mesmo para pagar pelo transporte público em Londres, aproximando-os direto nas catracas dos meios de locomoção. Uma comodidade e tanta!

A grande vantagem é o uso do câmbio comercialspread reduzido e IOF de 1,1% (comparado a 4,38% dos cartões de crédito).

Cada instituição tem suas taxas e peculiaridades. Aqui, vamos falar da Wise e da Nomad, que frequentemente lideram como as opções mais vantajosas.

Cartão da Wise

Aplicativo Wise sendo usado para câmbio de moeda estrangeira

App da Wise

Dentre os cartões multimoedas atualmente disponíveis no mercado, o cartão da Wise costuma sair na frente para o uso em viagens na Inglaterra. Além de tarifas administrativas vantajosas (0.81% na nossa simulação), ele possibilita armazenar saldo tanto em reais, quanto em libras esterlinas (e mais de 50 outras moedas).

Em uma simulação realizada na data de publicação deste artigo, o câmbio final (já incluídos imposto e tarifas) foi de R$7,15 para 1 libra esterlina, muito mais vantajoso que o câmbio da moeda em espécie.

A operacionalização do cartão é bem simples, já que tanto o site quando o aplicativo da Wise são bastante intuitivos.

Ao abrir a sua conta, que é gratuita, e fazer a primeira transferência, você também poderá solicitar o cartão de débito físico sem custo. Porém, caso você ainda não tenha uma conta, recomendo fazer todo o processo com pelo menos algumas semanas de antecedência para garantir que o cartão chegue a tempo.

Taxa de saque da Wise

Como falamos, esse tipo de cartão pode ser usado tanto para compras na maquininha quanto para saques. Acontece que saques no exterior costumam ter taxas – e não é diferente com o cartão da Wise.

Esse cartão permite até 2 saques gratuitos por mês, desde que o valor total não ultrapasse o equivalente a R$1.400. Depois disso, é cobrado R$ 6,50 por transação, mais 1,75% sobre os valores excedentes.

Como é possível pagar com o cartão na grande maioria dos estabelecimentos, a dica é sacar apenas o necessário para pagar despesas miúdas.

Tarifa zero na sua primeira transferência

Ao criar a sua conta na Wise através deste link, a sua primeira transferência de até £500 ( +/- R$ 3.400) será livre de tarifas, garantindo ainda mais economia para a sua viagem.

Cartão da Nomad

Aplicativo da Nomad na tela de um smartphone

App da Nomad

Outra opção vantajosa dentre os cartões multimoedas é o cartão na Nomad. Ele possui funcionalidades parecidas com o da Wise, mas apenas conta com saldo em dólares americanos.

Na prática, você carregará ele com dólares (pagando em reais) e, ao fazer pagamentos na Inglaterra, haverá uma nova conversão das moedas com base na taxa de conversão da Visa, que atualmente é a emissora do cartão Nomad.

Nele, também é aplicado o câmbio comercial (para carregar os dólares americanos) e IOF de 1,1%. A diferença maior fica por conta das taxas administrativas e o segundo câmbio para a moeda local.

A taxa administrativa varia de acordo com o nível do usuário no Nomad Pass, o programa de fidelidade da empresa (veja os critérios). Logo, mesmo na hipótese mais vantajosa, a cotação da Nomad ainda fica um pouco atrás da Wise (spread de 0,95%).Ela começa em 2% e chega a 1%. Logo, mesmo na hipótese mais vantajosa, a cotação da Nomad ainda fica um pouco atrás da Wise (spread de 0,81%).

Fizemos uma simulação na data da publicação deste artigo com a maior taxa, de 2%, para novos usuários; e com 1%, para usuários frequentes.

Na primeira situação (2%), após passar pelo caminho “real brasileiro > dólares americanos > libras esterlinas”, o câmbio final foi de R$7,23 para 1 libra esterlina.

Já para o usuário que atingiu o último nível do programa de fidelidade (1%), o câmbio final seria de R$7,16 para 1 libra esterlina.

Comparado à conversão da Wise, a diferença é pouca para quem está no último nível do Nomad Pass, mas fica menos vantajosa para os usuários menos assíduos.

Taxa de saque da Nomad

Com o cartão da Nomad, os dois primeiros saques do mês são gratuitos, com o limite de US$500 (ou o equivalente) por operação. Já a partir do terceiro saque, há uma taxa de US$5 por transação.

Vantagens e desvantagens de usar um cartão multimoedas na Inglaterra

Aqui, reunimos as principais vantagens e desvantagens de usar um cartão multimoedas (Wise ou Nomad) na Inglaterra:

Vantagens de usar os cartões multimoedas na Inglaterra:

  • IOF de 1,1% (contra 4,38% dos cartões de crédito);
  • Câmbio comercial;
  • Taxas administrativas mais econômicas que as dos cartões de crédito;
  • Método prático e seguro;
  • Transparência quanto aos valores cobrados;
  • Permite que você carregue o dinheiro aos poucos, aproveitando, inclusive, as baixas de câmbio.

Desvantagens de usar os cartões multimoedas na Inglaterra:

  • Caso você ainda não tenha conta na Wise ou Nomad, é preciso se programar algumas semanas antes da viagem para receber o cartão físico a tempo (os cartões digitais são liberados na hora);
  • Permitem fazer apenas 2 saques gratuitos por mês. Acima disso, há cobrança de taxas.

QUANTO VOU GASTAR NA MINHA VIAGEM PARA A INGLATERRA?

Viajar para a Inglaterra, definitivamente, não é barato, e um dos motivos se dá justamente pela moeda do país, que é altamente valorizada perante o nosso real. Por isso, entender quanto você gastará na viagem é muito importante na hora do planejamento.

Dentro dos limites de um país caro como o Reino Unido, dá para ter uma viagem mais econômica a partir de algumas escolhas, como por exemplo de hospedagem, alimentação e atrações turísticas que deseja visitar.

Para ter uma ideia de alguns valores praticados em Londres, reunimos a média de preços em categorias relevantes:

Hospedagem

A hospedagem, sem dúvida, é um dos maiores gastos em uma viagem para Londres. Embora os hotéis sejam caros, é possível encontrar preços mais acessíveis dependendo da localização, nível de conforto, antecedência da reserva e época do ano.

Considerando estadias bem avaliadas e bem localizadas, veja uma média aproximada das tarifas diárias* em libras esterlinas:

  • Cama em hostel (quarto compartilhado): a partir de £30;
  • Quarto padrão em pousada / hotel 3 estrelas para 2 pessoas: a partir de £90;
  • Quarto padrão em hotel 4 estrelas para 2 pessoas: a partir de £120;
  • Quarto padrão em hotel 5 estrelas para 2 pessoas: a partir de £450.

*Fonte: Booking.com


Alimentação

Alimentação é um dos itens mais variáveis. Se a ideia é fazer todas as refeições em restaurantes, reserve um budget mais caprichado para esta parte da viagem.

Se estiver aberto a algumas refeições rápidas, como lanches na rua, Londres também conta com opções assim.

Caso esteja hospedado em um lugar que tenha cozinha disponível, outra alternativa é comprar produtos no mercado e preparar suas próprias refeições. Essa é uma excelente forma de poupar recursos no país.

Confira a média de preço* de alguns itens nos restaurantes da capital inglesa:

  • Refeição em restaurante econômico: £20;
  • Refeição completa para 2 pessoas em restaurante padrão (3 pratos): £80;
  • Refrigerante lata: £2;
  • McMeal no McDonalds: £8;
  • Cerveja local (500 ml): £6,50.

*Fonte: Numbeo


Atrações

Londres tem atrações gratuitas e pagas. Conhecer o St. James’s Park e o Hyde Park; apreciar a troca da guarda no Palácio de Buckingham assim como o Big Ben e o Parlamento; caminhar pela Tower Bridge e visitar a National Gallery e o Museu Britânico são alguns exemplos de atrativos gratuitos.

Já entrar na Torre de Londres custará £34,80, na Abadia de Westminster £27, na Catedral de Saint Paul £25, e viver a experiência de percorrer a famosa roda-gigante London Eye sairá a partir de £30.

Uma sugestão para se organizar é listar os pontos turísticos que pretende visitar. Depois, dê uma olhada no site oficial de cada um para verificar preços atualizados.

Uma viagem para Londres, muitas vezes, inclui também visitar atrações dos arredores e, para isso, há a possibilidade de participar de tours. Veja o valor de algumas experiências através da nossa parceira Get Your Guide:

Powered by GetYourGuide

DICAS FINAIS: QUAL MOEDA, COMO E QUANTO LEVAR PARA A INGLATERRA

Este levantamento sobre as melhores formas de levar dinheiro para a Inglaterra nos traz algumas conclusões:

Priorize um cartão internacional multimoedas. Além de ser extremamente prático (tanto para levar seu dinheiro quanto para usá-lo no dia a dia), ele garante a melhor taxa na hora da conversão do real para libras esterlinas.

Outra vantagem é que, com esse tipo de cartão, você também pode sacar a moeda da Inglaterra para tê-la na carteira.

Se prefere já sair do Brasil com dinheiro em espécie, troque seus reais por libras esterlinas em casas de câmbio brasileiras. Embora as taxas não sejam tão convenientes quanto as dos cartões multimoedas, você ainda garantirá o IOF mais baixo de 1,1%.

Por fim, como plano de emergência, leve também um cartão de crédito habilitado para uso internacional. Aposte na combinação de todos esses recursos e curta com tranquilidade seus dias de viagem.

Você sabia?

O Viaja que Passa ganha uma pequena comissão a cada reserva que você faz através dos links dos nossos parceiros. Você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a continuar publicando conteúdos autorais e imparciais para ajudar na sua viagem!

Tags:   

«
»